02:58 17 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Líder do Partido de Independência do Reino Unido (UKIP), Nigel Farage, mostra seu passaporte britânico durante um evento a favor do Brexit em Londres, 3 de junho de 2016

    Farage: Grã-Bretanha era proibida de escolher seus aliados quando estava na UE

    © REUTERS / Neil Hall
    Mundo
    URL curta
    234

    Quando a Grã-Bretanha fazia parte da UE, o país era impedido de escolher de modo autônomo os seus aliados. Os líderes políticos do país justificavam isso com a necessidade de uma aliança com a Europa para promoção do comércio, disse o ex-líder do Partido de Independência do Reino Unido (UKIP), Nigel Farage, em entrevista à emissora RT.

    "Quase todas as nossas leis eram aprovadas em algum lugar fora do país, as fronteiras acabaram sendo escancaradas e ficamos proibidos de escolher de modo autônomo os nossos amigos no mundo", disse Farage, destacando que muitos líderes britânicos mentiram à população por décadas. 

    "Penso que, no fim das contas, como já é tradicional entre os ingleses, chegaremos a um certo compromisso. No entanto, de maneira geral, as nossas exigências serão satisfeitas", confidenciou o político.

    O líder do UKIP, que também é deputado do Parlamento Europeu pela Grã-Bretanha, declarou sua renúncia em 4 de julho. Ele motivou a renúncia com o fato de já ter atingido o seu objetivo, que era a saída da Grã-Bretanha da UE.

    Mais:

    Autoridades britânicas seguem sem definição de prazos para o início do Brexit
    Processo de Brexit se adiantara até fim de 2019
    Economia do Reino Unido sofrerá queda depois do Brexit
    Pesquisa: mais da metade dos russos apoia o Brexit
    Escócia estuda a possibilidade de sair da Grã-Bretanha depois do Brexit
    Tags:
    Brexit, Ukip, Parlamento Europeu, RT, Nigel Farage, Grã-Bretanha, União Europeia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik