17:45 25 Setembro 2017
Ouvir Rádio
    Recep Tayyip Erdogan em comício em Istambul, 7 de agosto de 2016

    Erdogan promete pena de morte para milhares de presos em comício gigante em Istambul

    © AP Photo/ Kayhan Ozer/Serviço de imprensa presidencial
    Mundo
    URL curta
    Tentativa de golpe militar na Turquia (109)
    17112346

    Discursando para uma multidão que se reuniu neste domingo (7) na orla de Istambul para demonstrar a "unidade turca" após a tentativa de golpe ocorrida no país em meados de julho, o líder turco Recep Tayyip Erdogan prometeu restabelecer a pena de morte, que está suspensa na Turquia há mais de dez anos.

    A manifestação se concentrou na área de Yenikapi. Durante sua fala altamente emocional, Erdogan prometeu limpar o país de todos os adeptos de Fethullah Gulen, um clérigo exilado nos EUA que as autoridades turcas culpam pela tentativa de golpe.

    O presidente afirmou que atende as demandas do povo ao reintroduzir a pena capital para os participantes do motim, e observou que iria assinar tal lei, se o parlamento a adotar.

    "Todo mundo sabe que o poder neste país, sem nenhuma dúvida, pertence ao povo, e ele [o povo] está exigindo a pena de morte", disse Erdogan, segundo a agência de notícias turca Anadolu. "Ao mesmo tempo, a autoridade que poderia considerar tal exigência é a Grande Assembleia Nacional [Parlamento turco]. Se o Parlamento tomar a decisão, os procedimentos subsequentes são bem conhecidos. Se este processo chegar à promulgação de uma lei, eu afirmo abertamente — vou assiná-la", acrescentou o presidente turco.

    De acordo com algumas estimativas, mais de um milhão de pessoas tomaram as ruas de Istambul neste domingo. O rali também foi transmitido em grandes telões ao ar livre montados em todas as 81 províncias do país, segundo a imprensa local.

    ​A reunião foi assistida até mesmo pelos principais partidos da oposição, evento inédito há décadas na Turquia. O presidente do Partido Republicano do Povo, Kemal Kilicdaroglu, disse que o golpe fracassado abriu a porta para a "reconciliação" das forças políticas do país e para a emergência de uma nova "grande Turquia".

    Em 15 de julho, um grupo de militares rebeldes tentou derrubar o governo de Erdogan. A tentativa de golpe deixou 246 civis mortos e mais de 2.000 feridos, segundo os dados oficiais.

    A última sentença de morte aplicada na Turquia foi em 1984. Duas décadas depois, Ancara aboliu a pena capital na tentativa de cumprir com as normas da União Europeia para a posterior incorporação do país ao bloco. 

    Tema:
    Tentativa de golpe militar na Turquia (109)

    Mais:

    Erdogan acusa Ocidente de apoiar terroristas e golpistas na Turquia
    Erdogan assume controle do Exército da Turquia
    Erdogan anuncia fechamento de escolas militares e nova Universidade de Defesa Nacional
    Turquia pode realizar referendo sobre adoção da pena de morte
    Tags:
    pena de morte, rebelião, motim, presos, golpe, manifestação, rali, comício, Recep Tayyip Erdogan, Istambul, Turquia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik