06:52 20 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    Presidente da Turquia Tayyip Erdogan

    Erdogan acusa Ocidente de apoiar terroristas e golpistas na Turquia

    © AFP 2017/ ADEM ALTAN
    Mundo
    URL curta
    378860

    O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, acusou o Ocidente de "apoiar o terrorismo" e os golpistas que no mês passado tentaram tomar o poder na Turquia. Em declarações virulentas nesta terça-feira (2), ele questionou particularmente a amizade dos EUA.

    "Infelizmente, o Ocidente apoia o terrorismo e se coloca ao lado dos golpistas", disse o chefe de Estado, discursando em Ancara, em resposta às críticas dos EUA e dos países europeus sobre a extensão dos expurgos iniciados após o golpe fracassado.

    "Este golpe de Estado não foi apenas um evento planejado internamente. Os atores agiram no país segundo um script escrito a partir do exterior", afirmou Erdogan, voltando a acusar o clérigo muçulmano Fethullah Gulen, autoexilado nos EUA, de ser o mentor da tentativa de golpe – alegação negada veementemente pelo acusado.

    Ancara pediu a Washington a extradição de Gulen, mas os EUA ainda não consentiram com a exigência.

    "Como é possível, já que somos parceiros estratégicos, que eu lhes peça para entregar alguém com base em um documento de segurança nacional para a Turquia e que vocês continuem a escondê-lo e a protegê-lo?", bradou Erdogan, referindo-se aos EUA.

    O presidente turco disse ainda que Gulen tira a maior parte de sua receita dos Estados Unidos, supostamente ganhando “entre 200 e 300 milhões de dólares” apenas através das escolas administradas por fundações ligadas a ele. 

    Pela primeira vez desde a tentativa de golpe ocorrida no dia 15 de julho, a Turquia teve na segunda-feira (1º) seus primeiros contatos de alto nível com os EUA, recebendo o chefe do Estado-Maior norte-americano, general Joseph Dunford.

    O chefe do Estado turco também protestou contra a decisão das autoridades alemãs de proibi-lo de falar por videoconferência a uma multidão de seus apoiadores que se reuniu no domingo (31) em Colônia (Alemanha Ocidental) para “defender a democracia”.

    Além disso, ele criticou Berlim por permitir discursos por videoconferência de autoridades do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), que combate o exército turco desde o fim do cessar-fogo, em julho de 2015. 

    O PKK luta pela autonomia curda e é considerado uma organização terrorista pela Turquia, bem como pelos EUA e pela União Europeia.  

    Mais:

    Turquia aponta 197 novos generais após tentativa frustrada de golpe
    Carro-bomba mata cinco policiais no sudeste da Turquia
    Erdogan assume controle do Exército da Turquia
    Erdogan acusa general chefe do Comando Central dos EUA de apoiar golpistas na Turquia
    Tags:
    expurgo, organização terrorista, apoio, extradição, terrorismo, golpe, Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), Joseph Dunford, Fethullah Gulen, Recep Tayyip Erdogan, Alemanha, União Europeia, EUA, Ocidente, Turquia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik