16:58 18 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    Hillary Clinton, pré-candidata democrata à presidência dos EUA

    Hillary Clinton é acusada de patrocinar Forças Armadas russas

    © AFP 2017/ Robyn Beck
    Mundo
    URL curta
    31651121

    Hillary Clinton, pré-candidata democrata à presidência dos EUA, contribuiu para o financiamento de Skolkovo (também conhecido como o "Vale do Silício" russo), centro de robótica da Rússia que desenvolve tecnologias inovadoras em diversas áreas, inclusive no campo militar, informa o Wall Street Journal.

    Depois de sua visita a Moscou em 2009, o presidente norte-americano Barack Obama anunciou a criação de uma comissão bilateral entre os EUA e a Rússia. Hillary Clinton, secretária de Estado na época, representou seu país nos processos que tinham como objetivo identificar áreas de cooperação, projetos de pesquisa e ações conjuntas para estimular as relações entre o povo russo e o americano.

    Como parte do "reinício" das relações bilaterais, Clinton trabalhou "agressivamente" para atrair investidores norte-americanos para Skolkovo e ajudou também a corporação estatal russa Rusnano a identificar as empresas de tecnologia dos EUA dignas de merecer um investimento, informou a publicação.

    Muitas empresas tecnológicas, entre as quais se encontravam grandes doadores da Fundação Clinton (Google, Intel, Cisco), financiaram de forma massiva o desenvolvimento da cidade tecnológica russa. Em 2010, vários acordos foram assinados entre Skolkovo e companhias norte-americanas, apontou o WSJ.

    Em 2012, Conor Lenihan, vice-presidente da Fundação Skolkovo, que anteriormente havia estado associado com a Fundação Clinton, informou que a estrutura tinha reunido 28 "parceiros-chave" norte-americanos e europeus. O artigo do WSJ destacou que 60% desses parceiros tinham colaborado financeiramente com a Fundação Clinton ou patrocinado discursos de Bill Clinton.

    Do lado russo, muitas doações também foram enviadas para a Fundação Clinton.

    Enquanto isso, a investigação ultra tecnológica levada a cabo em Skolkovo causou preocupação entre os especialistas militares e representantes das organizações de segurança dos EUA.

    A investigação, realizada no âmbito do Programa de Pesquisas Militares Estrangeiras do Exército dos EUA, demonstrou que o objetivo do projeto de Skolkovo é o intercâmbio científico e técnico nas áreas de tecnologia da informação, biomedicina, energia e satélites, espaço e tecnologias nucleares.

    Além disso, o relatório diz que a Fundação Skolkovo "está envolvida em atividades relacionadas com a defesa desde dezembro de 2011, quando foi aprovado um projeto relacionado com o armamento: o desenvolvimento de motores para mísseis de cruzeiro supersônicos."

    Segundo Schweitzer, mesmo que fosse possível provar que os milhões de dólares em doações para a Fundação Clinton por parte dos parceiros de Skolkovo não estavam relacionados com o fato de Hillary ter ignorado os fins militares da estrutura russa, "a questão ainda seria problemática".

    Os responsáveis pela campanha presidencial de Hillary e os representantes da Fundação Clinton recusaram comentar as afirmações do Wall Street Journal.

    O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, disse por sua vez que, se houve tais contatos, considera isso positivo, porque Skolkovo é uma organização que tem muitos contatos internacionais, se houve contatos até com os EUA pela linha de Skolkovo, isso só seria saudado. Mas, com tudo isso, o porta-voz do presidente russo disse que ele não dispunha de informações sobre as doações, quer elas tenham tido lugar ou não.

    Mais:

    Porque 'a carta pró-russa' de Trump pode ser jogada pela mão hostil de Hillary Clinton
    Duelo de titãs: combate entre Clinton e Trump promete ser violento
    Clinton aumenta vantagem sobre Trump em 13%
    Tags:
    fundação, forças armadas, doação financeira, Skolkovo, Hillary Clinton, Rússia, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik