18:32 21 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    Fuselagem de drone da OTAN, em frente ao estádio nacional onde foi realizada a cúpula da OTAN em Varsóvia, 9 de julho de 2016, Polônia

    'OTAN é uma organização que serve para apresentar a Rússia como inimigo potencial'

    © AFP 2017/ STEPHANE DE SAKUTIN
    Mundo
    URL curta
    21649101

    O general Jean-Bernard Pinatel, especialista no ramo da geoestratégia e inteligência econômica, falou recentemente nas páginas do jornal Le Figaro da inutilidade da OTAN na luta contra a ameaça islamista e da importância da aproximação entre a Rússia e Europa.

    A Sputnik France conseguiu falar com ele sobre este assunto.

    O general Pinatel tem o blog Géopolitique — Géostratégie (Geopolítica-Geoestratégia), ele também é o autor de vários livros, em particular dos "Cadernos das guerras e crises" (Carnets de guerres et de crises) que estreou em 2014.

    Jean-Bernard Pinatel é adepto de uma aliança entre a Rússia e França, ele fala disso no seu livro lançado em 2014 "Rússia, aliança vital" (Russie, аlliance vitale).

    A Sputnik perguntou sobre quem entre líderes mundiais também têm pontos de vista semelhantes.

    "Para mim a OTAN é uma organização, que é um produto da Guerra Fria e era apoiada principalmente pelos EUA, por vontade deles, porque a OTAN serve seus interesses. E os interesses dos norte-americanos foram determinados já em meados dos anos 90 por Zbigniew Kazimierz Brzezinski [cientista político, geopolítico e estadista norte-americano]: a qualquer custo prevenir uma aliança entre Europa e Rússia, o que poderia retirar a liderança mundial aos EUA, obtida depois da queda e desmoronamento da União Soviética nos anos 90", disse general.

    "Assim, para os norte-americanos a OTAN é um modo de apresentar a Rússia, com ajuda de várias provocações e até desinformação, como um adversário ou inimigo potencial. No que toca a mim, uma pessoa que teve sorte de conhecer a Rússia, que também trabalhou sobre história, inclusive sobre história da união que várias vezes ligou a França e a Rússia, eu acho que os interesses protegidos pela OTAN não coincidem com os interesses da França. É por isso que eu escrevi este livro, porque eu, por exemplo, previ já há muito tempo que nós enfrentaremos a ameaça islâmica que a Rússia, infelizmente, enfrentou antes de nós. <… > É por isso que eu escrevi, em 2011, o livro "Rússia, aliança vital", e hoje insisto ainda mais nisso, mesmo que a minha opinião não seja partilhada por todos, porque muitas pessoas seguem cegamente a OTAN", sublinha general.

    No entanto, posso dizer que em França há entre políticos de primeiro plano, como Fillon, candidato à presidência, mesmo deputados, como o senhor Mariani e outros, bem como militares, pessoas que partilham a minha opinião. De modo que, hoje na França a discussão está em andamento, mas a opinião geral mudou sim a favor da Rússia <…>", assegura Pinatel.

    "Para mim, a OTAN é uma organização onde predominam os americanos e os anglo-saxões e que serve seus interesses. Pessoalmente, defendo uma aliança atlântica e estou contra a pertença da França a qualquer organização militar integrada, porque a OTAN sempre espalha desinformação sobre a ameaça e tenta recuperar na Europa a atmosfera da Guerra Fria, o que está totalmente em contradição com os interesses da Europa e os interesses da França", conclui general.

    Mais:

    Polônia apoia adesão de Montenegro à OTAN
    Rússia está aberta ao diálogo construtivo com a OTAN – Moscou
    França quer eliminar sanções contra a Rússia 'o mais rápido possível', diz chanceler
    'Rússia pretende se tornar vizinha da França e EUA com fronteira comum'
    Tags:
    ameaça terrorista, aliança, Guerra Fria, ameaça militar, OTAN, França, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik