20:43 16 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Um militar do Exército sírio em um veículo de combate, no povoado de Ohrus, da província de Aleppo, depois de libertá-lo do Daesh

    'Terroristas não têm nenhuma chance contra Assad' – Turquia apoia Rússia na Síria

    © Sputnik/ Ilya Pitalev
    Mundo
    URL curta
    54692

    Ancara sempre apoiou os grupos radicais que lutam contra Bashar Assad, mas após a tentativa fracassada de golpe Recep Tayyip Erdogan mudou o rumo de sua política externa, se juntando à Rússia relativamente ao conflito sírio, informa o jornal alemão Deutsche Wirtschafts Nachrichten (DWN).

    O jornal de negócios apontou para o fato de que as autoridades turcas fecharam Bab al-Hawa, a única passagem de fronteira com a província de Idlib controlada pelos rebeldes, o que prova uma mudança drástica da política externa turca.

    "Mercenários, que até recentemente recebiam apoio [de fora], não têm nenhuma chance contra o presidente Bashar Assad", observou o DWN.

    No início deste mês, a Turquia manifestou sua intensão de melhorar suas relações com a Síria, o que foi declarado pelo primeiro-ministro turco Binali Yildirim em 13 de julho:

    “É o nosso maior e irrevogável objetivo: desenvolver boas relações com a Síria e o Iraque, e todos os nossos vizinhos do Mediterrâneo e do mar Negro. <…> Normalizámos as relações com a Rússia e Israel, e tenho certeza que vamos normalizar as relações com a Síria também.”

    Estes comentários e outras observações feitas por funcionários turcos revelaram um forte contraste com a posição anterior de Ancara sobre a Síria. Até hoje, Erdogan e seus apoiantes prestaram assistência a grupos que tinham por objetivo derrubar Assad.

    A nova estratégia da Turquia na Síria "contribuiu em muito" para os esforços de Moscou e Damasco de empurrar os jihadistas para fora de Aleppo, a cidade mais populosa do país, conclui o DWN.

    Mais:

    No que pode resultar o encontro entre Putin e Erdogan?
    Erdogan promete suspender acusações em casos de insulto ao presidente
    Erdogan admite que pode haver um novo golpe
    Tags:
    guerra civil, Daesh, Recep Tayyip Erdogan, Vladimir Putin, Turquia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik