06:53 26 Fevereiro 2021
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    0 31
    Nos siga no

    O principal problema dos serviços de segurança no século XXI é a burocracia. Isso é dito pelo professor da Faculdade de Política e Segurança Internacional da Universidade Union de Belgrado Goran Matic, em entrevista à Sputnik Sérvia.

    Os recentes atentados terroristas na França e a tentativa de golpe militar na Turquia revelam lacunas na inteligência. Desde os ataques às Torres Gêmeas em Nova York em 11 de setembro de 2001, as inteligências ocidentais confiaram na tecnologia, se esquecendo da interação real e fatores humanos, nota Goran Matic. Ele deu um exemplo que prova seu ponto.

    Um dos oficiais do FBI que tinha informações sobre os ataques em preparativo contra as torres gêmeas em Nova York enviou-as pelos canais de FBI. Esta informação chegou ao seu objetivo final apenas dois anos após os eventos.

    Este fenômeno é chamado na inteligência de “lobo solitário”: uma pessoa tem alguma informação, mas não pode compartilhá-la devido a uma excessiva burocratização do serviço de inteligência.

    "É um problema do século XXI, hoje temos uma burocratização muito rigorosa do serviço por um lado e volumes incríveis de informação por outro lado", conclui Matic.

    Por isso, o professor acredita que o futuro da inteligência estará no melhoramento do processamento de informações. No entanto, o serviço não pode operar com êxito sem os recursos humanos tradicionais.

    Mais:

    Inteligência dos EUA pensa que Moscou esteja por trás do ciberataque ao Partido Democrata
    Atividade do Daesh faz inteligência argentina intensificar cooperação com Brasil
    EUA 'podiam aprender' a verificar dados da inteligência antes de invadir países
    Tags:
    segurança internacional, opinião, inteligência, Sérvia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar