12:37 19 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Treinamento muilitar conjunto da Rússia e Bielorrússia

    Nova doutrina militar da Bielorrússia preocupada com OTAN

    © Sputnik / Evgeny Yepanchintsev
    Mundo
    URL curta
    0 361

    O presidente bielorrusso Aleksandr Lukashenko assinou uma nova edição da doutrina militar da Bielorrússia após sua discussão no parlamento do país.

    Apesar de o documento não citar os países que representam uma ameaça para a Bielorrússia, há alusões indiretas de que a OTAN é a ameaça mais provável.

    De acordo com o parágrafo 11.3 da nova doutrina, ameaças militares diretas ao país incluem "a expansão (ou criação) de alianças militares e políticas na região europeia e das quais a República da Bielorrússia não participa" e/ou a tentativa dessas alianças para desempenharem "funções globais".

    O parágrafo 11.4 pressupõe a ameaça através do "reforço de capacidades ofensivas dos países (ou coalizões de países), incluindo o estabelecimento unilateral de sistemas estratégicos de defesa antimíssil, armas guiadas de alta precisão, equipadas com ogivas não nucleares, para efetuar ataques contra forças militares e infraestruturas da República da Bielorrússia", entre outras medidas que "levam ao desequilíbrio de forças existente, bem como ao reforço da infraestrutura militar de países que têm fronteira conjunta com a Bielorrússia".

    A Bielorrússia e a Rússia são membros da Organização do Tratado de Segurança Coletiva (OTSC), uma aliança militar, que também inclui outros cinco países pós-soviéticos, e possuem um sistema de defesa antiaérea conjunto. Politicamente os dois países estão integrados através da União da Rússia e Bielorrússia e da União Econômica Eurasiática.

    A nova doutrina se refere à OTAN como ao perigo principal, o único grande bloco militar na Europa, e ao reforço da sua presença na Europa Oriental, incluindo sistemas norte-americanos ABM (Tratado de Mísseis Balísticos) na Romênia e Polônia.

    Além de ameaças militares diretas, a doutrina descreve também ameaças político-militares, político-estratégicas e econômico-militares ao país, prestando também atenção às técnicas de revoluções coloridas, às forças militares privadas e à guerra híbrida.

    O ministro da Defesa da Bielorrússia Andrei Ravkov tem a certeza de que a nova doutrina do país, que foi renovada pela primeira vez desde 2002, levará em consideração não apenas as ameaças militares, mas também as externas e internas que exercem uma influência significativa sobre a defesa do país.

    Mais:

    Moeda nacional da Bielorrússia perde quatro zeros
    Bielorrússia testa novo míssil (VÍDEO)
    Tags:
    forças militares, doutrina militar, sistema de defesa antiaérea, ameaça, Organização do Tratado de Segurança Coletiva (OTSC), OTAN, Aleksandr Lukashenko, Europa Oriental, Romênia, Polônia, Bielorússia, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik