11:41 20 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Técnicos franceses perto do caça Rafale no convés do porta-aviões Charles de Gaulle no Mediterrâneo

    França envia porta-aviões para combater Daesh

    © AFP 2019 / Anne-Christine Poujoulat
    Mundo
    URL curta
    0 14
    Nos siga no

    A França enviará artilharia e seu porta-aviões Charles de Gaulle para o Iraque para ajudar a coalizão liderada pelos EUA na Síria e no Iraque nos próximos meses, mas não deslocará suas forças para estes países.

    O respetivo anúncio foi feito na sexta-feira pelo presidente francês François Hollande.

    A França também vai mandar em agosto artilharia para o Iraque para prestar apoio ao exército iraquiano no combate contra os terroristas do Daesh (proibido na Rússia), acrescentou o presidente.

    "O Conselho de Defesa e eu tomámos a decisão esta manhã de providenciar as forças iraquianas com artilharia como parte dos esforços contra o Daesh. A artilharia será entregue em agosto", disse Hollande.

    "O porta-aviões francês Charles de Gaulle chegará à região até final de setembro. Ele e os nossos caças Rafale permitirão intensificar os nossos ataques contra posições do Daesh na Síria e no Iraque", informou o presidente em um discurso televisivo.

    Porém, a França não enviará forças terrestres, disse.

    "Apoiamos as operações na Síria e no Iraque, mas não enviaremos nosso exército. Temos conselhos para dar, treinamento para realizar, mas não vamos enviar tropas terrestres", destacou Hollande.

    Em 2015, o porta-aviões francês foi posicionado no Golfo Pérsico para apoiar operações militares contra os terroristas do Daesh. Na primavera de 2016, ele retornou a Toulon, no sul da França, onde realizou trabalhos técnicos de manutenção.

    As forças iraquianas estão realizando operações em Nineveh de preparação para um ataque contra Mosul, a segunda maior cidade controlada pelo Daesh desde 2014.
    A coalizão liderada pelos EUA e composta por mais de 60 países, incluindo a França, tem lançado ataques aéreos contra a Síria e o Iraque desde o verão de 2014.

    Mais:

    Hollande rejeitou proposta para criar uma 'Guantánamo' francesa
    Chanceler da França 'nem sempre entende' quem tem culpa da situação na Ucrânia
    Tags:
    operações militares, ataques, caças, artilharia, porta-aviões, Rafale, Charles de Gaulle, Daesh, François Hollande, EUA, Rússia, Mosul, Golfo Pérsico, Toulon, Iraque, Síria, França
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar