19:23 07 Julho 2020
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    2334
    Nos siga no

    Decisão de arbitragem pode fazer a China introduzir uma zona aérea de identificação sobre o mar do Sul da China.

    Nos últimos meses a China tem repetidamente deixado claro que a introdução da zona aérea de identificação sobre o mar do Sul da China, de acordo com o sistema que funciona sobre o mar da China Oriental. Vasily Kashin, especialista militar russo, comenta a situação em entrevista à Sputnik.

    “Do ponto de vista tecnológico, os preparativos para o estabelecimento da zona aérea de identificação sobre o mar do Sul da China foram concluídos há muito tempo. Mas ela pode ser introduzida neste momento, o que empurra a decisão da arbitragem contra a qual Pequim protesta fortemente. A presença regular ou permanente de bombardeiros chineses com mísseis de cruzeiro na área seria uma boa demonstração de força”, assinalou Kashin.

    O especialista de defesa também frisou que as ilhas artificiais no arquipélago Spratly com aeródromos militares são muito pequenas para fornecer abrigo e proteger contra ataques aéreos e de mísseis. Mas, em caso de tensão prolongada, sem se transformar em uma guerra, caças estacionados nos aeródromos do território disputado podem ser úteis. A escolta de aviões de combate e de reconhecimento norte-americanos demonstrará a força e prontidão da China em defender firmemente a sua posição.

    Ao mesmo tempo, para Pequim é importante evitar a distorção do diálogo com Filipinas porque há uma chance para solucionar pacificamente todos os litígios sobre os territórios em disputa com a nova administração filipina, concluiu o especialista.

    Mais:

    Síria apoiou reivindicações da China no mar do Sul da China
    Pequim lança patrulha de combate aéreo sobre Mar do Sul da China
    Tags:
    bases militares, disputa territorial, Mar do Leste, Mar do Sul da China, Filipinas, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar