19:46 16 Julho 2019
Ouvir Rádio
    Frank-Walter Steinmeier, ministro de Relações Exteriores da Alemanha

    Ministro alemão pede para que Turquia cancele estado de emergência o quanto antes

    © AP Photo /
    Mundo
    URL curta
    0 32

    O ministro das Relações Exteriores da Alemanha Frank-Walter Steinmeier exortou as autoridades turcas a manter o estado de emergência no país apenas pelo tempo necessário e a cancelar esta medida o mais rápido possível.

    Logo após o anúncio da introdução de um estado de emergência na Turquia, nesta quarta-feira (20), Steinmeier fez igualmente um apelo para que o governo turco respeite os princípios do Estado de direito e da proporcionalidade na resposta à tentativa de golpe no país.

    “As autoridades precisam agir somente em resposta à participação comprovada em ações ilegais” – escreve Reuters, citando palavras do ministro alemão.

    “É igualmente importante que a introdução do estado de emergência seja limitada somente por um prazo necessário, sendo cancelada o quanto antes” – acrescentou Steinmeier.

    Na tarde de hoje, o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, anunciou a instauração de um estado de emergência com validade de três meses, após a tentativa de golpe militar sofrida pelo país na última semana. Em seguida, ele chegou declarar que os países da Europa não têm o direito de criticar a decisão do governo turco, já que, segundo ele, os mesmos teriam decretado estados de emergência diante de situações muito menos extremas. Em seu discurso, ele chegou a dizer que os "pequenos atentados terroristas" ocorridos na Europa não podem ser comparadas com a ameaça enfrentada hoje pela Turquia.

    Na sexta-feira (15), militares rebeldes tomaram as ruas das principais cidades da Turquia na tentativa de derrubar o atual governo. Apesar do grande número de envolvidos e do impacto internacional dos acontecimentos, Erdogan e seus apoiadores conseguiram retomar o controle do país algumas horas depois do início do golpe.

    Ancara acusa o clérigo Muhammed Fethullah Gulen, que mora nos Estados Unidos, de ser o principal responsável pela tentativa de derrubada do regime. O sacerdote, no entanto, nega. Como resultado das ações dos últimos dias, cerca de 10 mil pessoas foram detidas e outras 50 mil foram demitidas ou suspensas de seus cargos por suspeitas de envolvimento com o golpe.

    Tags:
    estado de emergência, Recep Tayyip Erdogan, Frank-Walter Steinmeier, Alemanha, Turquia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar