00:38 20 Fevereiro 2018
Ouvir Rádio
    O caça russo Su-24 no mar Báltico

    Existe ligação entre caça russo abatido e golpe de Estado na Turquia?

    © flickr.com/ Official U.S. Navy Page
    Mundo
    URL curta
    Tentativa de golpe militar na Turquia (109)
    1173

    A declaração sobre a detenção dos pilotos, que abateram o avião russo, provocou uma discussão sobre as origens da conspiração. De acordo om o ex-coronel do exército turco Dursun Cicek, não precisa ligar o golpe ao incidente com o caça russo.

    As discussões sobre o avião russo Su-24, abatido perto da fronteira síria, voltaram à agenda. A imprensa turca comunicou que entre os supostos participantes do fracassado golpe de Estado estavam os dois pilotos que abateram o avião russo. Por sua vez, a agência France-Presse, se referindo a um alto funcionário turco, escreveu que os pilotos estão presos. O ministro da Justiça Bekir Bozdag disse que "apareceu a informação sobre detenção dos pilotos, mas ainda não está confirmada". De acordo ele, há rumores de que um dos pilotos que abateram o avião russo está detido ou preso.

    Depois das notícias sobre a prisão dos pilotos, seguiram as alegações de que o movimento do pregador islâmico Fetullah Gulen, que está acusado de organizar um golpe de Estado na Turquia, foi culpado do ataque contra o avião russo com o objetivo de estragar as relações russo-turcas.

    O coronel aposentado do exército turco e deputado do Partido Republicano do Povo, Dursun Cicek, afirma que a decisão de derrubar o avião não tem nenhuma ligação com a tentativa de golpe.

    "Essas decisões são tomadas de acordo com o procedimento estabelecido. O piloto não poderia derrubar o avião sem a ordem correspondente, que deve ser feita de acordo com certos procedimentos do exército. Por isso, o piloto sem receber permissão não poderia lançar o míssil", disse ele, acrescentando: "Poderia o próprio piloto decidir? Poderia. Mas em qualquer caso, o lançamento foi feito de acordo com o procedimento estabelecido. Eu acho que não vale a pena vincular este incidente com a tentativa de golpe."

    Presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan (Arquivo)
    © AFP 2018/ STR / TURKISH PRESIDENTIAL PRESS OFFICE
    O ex-primeiro-ministro da Turquia, Ahmet Davutoglu, depois do incidente com o caça russo, afirmou que "deu esta ordem pessoalmente". O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, por sua vez, sublinhou que "se isso acontecesse agora, abateríamos o avião de novo". Mas depois ele acrescentou que se o lado turco sabia que era um Su-24 russo, ele se teria comportado de maneira diferente, e acusou o piloto russo de erro. Se você olhar nas declarações de Erdogan em geral, então não tem sinais de que o avião foi abatido pelos conspiradores.

    A Turquia defendeu sua decisão em relação ao avião russo tanto em declarações, como na arena internacional. Ao mesmo tempo, Erdogan continuamente disse que o verdadeiro objetivo da Rússia na região "não tem nada com a luta contra terroristas".

    "Se eles realmente são membros da organização [de Gulen], então atualmente se cria artificialmente a percepção de que eles têm usado a iniciativa a favor da organização. Mas estes dois incidentes são diferentes. Avaliá-los em conjunto seria um erro", concluiu Cicek.

    Tema:
    Tentativa de golpe militar na Turquia (109)

    Mais:

    WikiLeaks é bloqueado na Turquia
    Turquia demite comandante da Gendarmeria
    Repórter russo detido na Turquia retorna a Moscou
    Tags:
    erro, pilotos, conspiração, relações bilaterais, avião abatido, golpe de Estado, Su-24, Ahmet Davutoglu, Fetullah Gulen, Bekir Bozdag, Recep Tayyip Erdogan, Vladimir Putin, Rússia, Turquia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik