12:22 21 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Polícia no local de operação de segurança em Bruxelas

    Detido em Bruxelas por suspeita de ataque terrorista é estudante de física

    © REUTERS / Francois Lenoir
    Mundo
    URL curta
    0 01

    As forças especiais da Polícia da Bélgica detiveram nesta quarta-feira (20) um homem suspeito de planejar um ataque terrorrista, que se foi abordado na Praça de la Monnaie com fios elétricos por debaixo do casaco.

    Segundo o porta-voz policial, Christian De Coninck, a situação encontra-se sob controle. 

    Especialistas que correram para o local garantiram que o detido não estava carregando explosivos.

    Um centro comercial de Bruxelas foi evacuado devido a uma ameaça de bomba
    © Sputnik / Irina Kalashnikova
    Foi relatado que ao meio-dia um guarda notou um homem vestindo um casaco, sob o qual podia ver fios, e chamou a polícia, que estabeleceu um perímetro de segurança e evacuou o local.

    Posteriormente, ao ser interrogar o suspeito, a polícia descubriu que se tratava de um estudante de física que estudava as ondas magnéticas e a rediação na zona urbana. 

    A Bélgica, que já foi alvo de vários atentados terroristas, celebra em 21 de julho a sua Festa Nacional, recebendo vários festivais e eventos nas próximas semanas.

    Em 22 de março na capital belga sofreu três ataques, dois no aeroporto de Zaventem e um na estação de Metro Maelbeek, perto das instituições europeias.

    Os ataques, reivindicados pelo organização terrorista Daesh (Estado Islâmico), resultaram em 32 mortos e mais de 300 feridos. 

    Mais:

    Bruxelas decreta sanções contra Portugal e Espanha
    Partido da Liberdade da Áustria ameaçou Bruxelas com referendo para deixar UE
    Bruxelas apoia pedido ucraniano por liberação de vistos
    Premiê britânico é excluído de café da manhã com líderes da UE em Bruxelas
    Poroshenko vai a Bruxelas avaliar sanções contra a Rússia
    Tags:
    suspeito, terrorismo, Estado Islâmico, Daesh, Bruxelas, Bélgica
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik