15:46 29 Setembro 2020
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    Tentativa de golpe militar na Turquia (109)
    0 61
    Nos siga no

    Até o momento não está claro o que realmente aconteceu na Turquia, a situação não foi esclarecida. Enquanto isso, as autoridades aproveitam para ampliar o escopo de suspeitos, alertou Magdalena Kirchner, especialista do Instituto alemão de Política Internacional e de Segurança (SWP).

    "Observamos que a situação continua pouco clara. Os confrontos continuam, e as prisões. Ainda é preciso compreender o que aconteceu na noite de sexta-feira para o sábado", disse Kirchner em uma transimssão ao vivo da emissora N-24. Segundo ela, "circulam fotografias de soldados com cabeças decepadas e informações de disparos contra civis". Toda essa informação "se prolifera rapidamente pelas redes sociais". 

    "Em vez de tentar entender o que está acontecendo, o governo aproveita para punir os supostos suspeitos e amplia cada vez mais o escopo de supostos responsáveis", declarou a especialista.

    Na sexta-feira (15), as autoridades da Turquia denunciaram a tentativa de um golpe de Estado no país. Por outro lado, os militares declararam terem assumido o poder. Na manhã do sábado, grupos de militares insurgidos começaram a se render. O governo turco anunicou que a tentativa de golpe fracassou. Os órgãos de segurança já prenderam quase 3 mil pessoas, entre elas militares, de alto e médio escalão. Segundo o primeiro-ministro da Turquia, pelo menos 208 pessoas morreram em consequência dos confrontos nos últimos dias.

    Tema:
    Tentativa de golpe militar na Turquia (109)

    Mais:

    Ministro da Defesa ainda vê ameaça de golpe militar na Turquia
    30 governadores e 7.899 policiais são detidos depois de tentativa de golpe na Turquia
    Tentativa de golpe deixou mais de 190 mortos e 1.400 feridos na Turquia
    Helicópteros desaparecidos na Turquia preocupam por possível nova tentativa de golpe
    Tags:
    golpe militar, SWP, Magdalena Kirchner, Turquia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar