16:07 16 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    0 71
    Nos siga no

    Os militantes da Coalizão árabe síria (CAS), com apoio da coalizão liderada pelos EUA, se aproximou do centro da cidade de Manbij e cortaram ao grupo terrorista Daesh as rotas de abastecimento, informou o comando dos EUA no Oriente Médio.

    Segundo os dados do comando, os ataques da coalizão liderada pelos EUA contra as instalações importantes do Daesh excluíram a hipótese de o Daesh retornar suas posições e cortaram os terroristas de suas rotas de abastecimento.

    "Continuam os combates violentos. Unidades da CAS mantêm suas posições e realizam ofensivas no norte e no sul da cidade, apesar de numerosos ataques do Daesh com o uso de veículos com explosivos, veículos blindados e muitas unidades de combatentes", diz o comunicado.

    No total, a coalizão liderada pelos EUA realizou durante a operação mais de 400 ataques na região de Manbij. Não há dados sobre baixas entre combatentes da CAS ou terroristas.

    Os combates por Manbij na província de Aleppo, no norte da Síria, continuam já por mais de um mês. A população da cidade, antes do início do conflito no país, era de mais de 70 mil habitantes.

    Antes, o especialista militar Hassan Hassan disse à agência noticiosa RIA Novosti que perto de Manbij estão as forças principais da CAS compostas por curdos e árabes. Por isso eles não têm oportunidade para realizar uma ofensiva contra a capital do Daesh – Raqqa.

    Além disso, fontes na milícia curda disseram em 7 de julho que aviões da coalizão liderada pelos EUA deixaram de apoiar o grupo da oposição nos combates perto de Manbij.

    Mais:

    Turquia se afasta da política de pressão na Síria
    EUA planejam estabelecer na Síria centro de operações conjuntas com Rússia
    Assad: guerra civil na Síria pode acabar nos próximos meses
    EUA adotam medidas para prevenir abuso em ajuda humanitária na Síria
    Curdos: 'Não permitiremos divisão da Síria'
    Tags:
    Síria, EUA, Manbij, Daesh, operação, luta, terrorismo, coalizão
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar