11:03 23 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    0 03
    Nos siga no

    Pelo menos 11 pessoas morreram e outras 200 ficaram feridas nos confrontos entre manifestantes e policiais no estado de Jammu e Caxemira, disputado por Índia e Paquistão.

    As manifestações começaram depois que Burhan Wani, um comandante do Hizbul Mujahideen, maior grupo islâmico da Caxemira, foi morto na sexta-feira, junto a outros três extremistas.

    Segundo a polícia local, 96 oficiais de segurança estavam entre os feridos nos confrontos, enquanto outros três oficiais desapareceram. As forças de segurança de Jammu e Caxemira pediram aos manifestantes que parassem com a violência.

    “Certamente não queremos matar jovens em nossa própria sociedade. O objetivo é impedir a perda de vidas jovens”, disse o chefe de inteligência da polícia, Shiv M. Sahai, citado pelo canal NDTV.

    O Hizbul Mujahideen é um grupo separatista fundado em 1985, em atividade no estado indiano de Jammu e Caxemira, e considerado organização terrorista por Índia, EUA e União Europeia.

    A região de Jammu e Caxemira é contestada por Índia e Paquistão desde o fim do controle britânico, em 1947. Após vários conflitos armados, os dois países chegaram a um acordo para cessar-fogo em 2003. Desde então, os dois lados se acusam mutuamente de violar a trégua.

    Mais:

    Além dos BRICS: líder da Índia vai em turnê histórica
    Índia cria número de telefone para proteção de vacas
    Índia considera compra de microcircuitos russos para seu programa espacial
    Banco Mundial libera U$1 bilhão para projetos de energia solar na Índia
    Tags:
    Índia, Caxemira, Jammu e Caxemira, Hizbul Mujahideen, confrontos, mortes
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar