00:35 26 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    Mulher carrega bandeiras da Polônia durante protesto exigindo respeito à Constituição por parte do novo governo do país, Varsóvia, 12 de março de 2016

    Polônia reconhece genocídio na matança de poloneses por nacionalistas ucranianos

    © REUTERS / Kacper Pempel
    Mundo
    URL curta
    0 11

    A Câmara Alta do Parlamento da Polônia aprovou hoje (8) uma resolução que reconhece as atividades dos nacionalistas ucranianos durante a Segunda Guerra Mundial como genocídio contra a população polonesa.

    Além disso, a Polônia estabeleceu o dia 11 de julho para homenagear as vítimas do genocídio, que, de acordo com a resolução aprovada nesta sexta, foi perpetrado pela Organização dos Nacionalistas Ucranianos (OUN, na sigla em ucraniano) e seu braço militar, o Exército Insurgente Ucraniano (UPA).

    De acordo com diversas estimativas históricas, o OUN-UPA foi responsável pela morte de cerca de um milhão de pessoas, incluindo cerca de 200.000 poloneses.

    Em 2007, a Ucrânia incluiu Stepan Bandera, líder da OUN e do UPA na década de 1940, na lista dos heróis nacionais do país.

    Mais:

    Turquia critica Papa por comentários sobre genocídio armênio
    Papa Francisco visita Memorial do Genocídio na Armênia
    ONU denuncia Daesh por genocídio, crimes de guerra e contra humanidade
    Paradoxos de Poroshenko: exército de Stepan Bandera contribuiu para vitória sobre nazismo
    Tags:
    nacionalistas ucranianos, poloneses, genocídio, Segunda Guerra Mundial, UPA, OUN, Exército Insurgente Ucraniano, Organização dos Nacionalistas Ucranianos, Stepan Bandera, Ucrânia, Polônia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar