15:14 03 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    Crueldades do Daesh (33)
    0 03
    Nos siga no

    Os militantes do Daesh em Mossul continuam sua operação de detenções em massa e intervenções em casas residenciais, aprisionando qualquer pessoa que, segundo a opinião deles, seja perigosa para o grupo terrorista.

    Os terroristas não se limitam a detenções dos locais, mas também estão confiscando propriedade de valor variável.

    A última campanha dos militantes foi direcionada contra todos os habitantes de Mossul — eles, tal como vários meses atrás, estão desmontando as antenas parabólicas para TV via satélite das casas, proibindo assim ao povo de acompanhar os canais que estão mostrando as derrotas do Daesh perante as operações ofensivas do exército e das forças populares no Iraque.

    Camião carregado de antenas parabólicas em Mossul, 2016
    © Sputnik /
    Camião carregado de antenas parabólicas em Mossul, 2016

    A agência Sputnik obteve fotos exclusivas da cidade de Mossul que mostram um caminhão grande, cuja carroçaria está cheia de antenas parabólicas.

    Como informou um habitante de Mossul à agência Sputnik, o caminhão pertence às autoridades municipais, cuja propriedade agora é controlada pelo Daesh. 

    Um habitante, cujo nome não é divulgado por razões de segurança, disse que a chamada “polícia islâmica” está buscando nas casas que têm televisão via satélite e desmontando o equipamento. A maior quantidade de antenas parabólicas foi desmontada pelos terroristas nas áreas da margem ocidental do rio Tigre da cidade de Mossul.

    "Os militantes do Daesh estão irrompendo pelas casas, privam as famílias de suas antenas parabólicas sob pretexto que eles têm base legal, porque o Daesh tinha publicado três meses antes um documento em que ele apela à população para rejeitar a televisão via satélite, porque ela alegadamente mostra materiais amorais contra o islão e contra o Daesh", acrescentou o habitante de Mossul.

    Os terroristas colocam uma marca verde "Pronto" nos caminhos das ruas, onde já foi completamente efetuada a desmontagem dos equipamentos de todas as casas. Além disso, os militantes determinaram uma punição física e multa para todos os que resistem ao confisco de antenas parabólicas: a pessoa levará 50 chicotadas públicas e terá de pagar uma multa a definir no local segundo o critério dos militares.

    Antenas parabólicas, Mossul
    © Sputnik /
    Antenas parabólicas, Mossul

    Em junho de 2014, uma organização terrorista conhecida como Estado Islâmico do Iraque e do Levante (Levante corresponde ao território da atual Síria) anunciou a mudança do seu nome para Estado Islâmico. No dia 29 daquele mês, o líder do grupo terrorista (proibido na Rússia e reconhecido como terrorista pelas Nações Unidas — e portanto, pelo Brasil), Abu Bakr al-Baghdadi, proclamou o "califado internacional" como o seu objetivo principal. O grupo é conhecido internacionalmente como Daesh, pela sigla em árabe. No momento, o Daesh atua em partes da Síria e Iraque, países com grande instabilidade política e social. O Daesh reivindicou a responsabilidade por uma série de atentados e ataques sangrentos, inclusive o ataque contra o jornal Charlie Hebdo em janeiro de 2015, os atentados em Paris de 13 de novembro de 2015 e o atentado no aeroporto de Bruxelas, em março de 2016. Vários observadores e políticos consideram o grupo como a pior ameaça mundial.

    Tema:
    Crueldades do Daesh (33)

    Mais:

    Daesh vende escravas sexuais menores de idade através de messengers
    Daesh ameaça com 'califado mundial': atentado em Dhaka foi apenas o início
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar