05:15 31 Março 2020
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    5111
    Nos siga no

    Na segunda-feira (4), a mídia turca citou o chefe da diplomacia da Turquia dizendo que Ancara estava prestes a permitir o uso pela Rússia da base de Incirlik. No mesmo dia, Cavusoglu desmentiu essas informações. Então, Moscou precisa da base para as suas operações antiterroristas?

    A citação controversa do ministro das Relações Exteriores turco Mevlut Cavusoglu é esta: "Vamos cooperar com todos os que combatem o Daesh. Desde o início que estamos combatendo e abrimos a base de Incirlik para os que querem participar desta luta de forma mais ativa. Porque não podemos cooperar do mesmo modo com a Rússia? O Daesh é o inimigo para todos nós e precisamos combatê-lo".

    Entretanto, depois de algum tempo, Cavusoglu afirmou que foi mal interpretado e que não se tratava do uso da base turca pela Rússia.

    A jornalista da Svobodnaya Pressa, Maria Bezchastnaya, disse que esta não é primeira falsa citação de altos representantes turcos. O primeiro caso foi a carta do presidente turco Recep Tayyip Erdogan para o presidente russo Vladimir Putin. A parte russa considerou o conteúdo como desculpas e a parte turca declarou que se tratava somente de condolências. Depois disso, o primeiro-ministro turco Binali Yildirim disse que a Turquia estava prestes a pagar uma compensação e depois rejeitou suas próprias palavras.

    Falando à Svobodnaya Pressa, a presidenta do Centro da Ásia e Oriente Médio do Instituto Russo de Estudos Estratégicos, Anna Glazova, afirmou:

    “Quanto às desculpas de Erdogan, as contradições aparentes foram bastante perceptíveis. Por um lado, tinha de pedir desculpas à Rússia, por outro lado, tinha de salvar a face em frente dos seus eleitores e não parecer fraco”, explicou.

    Segundo a cientista política, os jornalistas realmente podiam não ter compreendido algo.

    "A coisa principal que Cavusoglu confirmou, foi que a Turquia está prestes a cooperar com a Rússia. Avaliando as declarações mais recentes de Ancara, parece que o governo realmente mudou sua política regional, especialmente em relação à Síria", disse.

    Na opinião de Glazova, as mudanças na política turca tocam no fato de a linha política "Assad deve ir embora" trouxe problemas para Ancara. Nomeadamente, um grande número de refugiados e a ameaça dos terroristas no país.

    "Parece que agora a Turquia, na verdade, escolheu a linha política de combate ao terrorismo”, disse a analista. Para todos é evidente que a Rússia fez todo o possível para combater o terrorismo e seu apoio é indispensável. 

    “Quanto à base de Incirlik, convém recordar que a Turquia negou regularmente a Washington a possibilidade de usar a base. Somente nos tempos mais recentes, permitiram instalar ali a sua coalizão antiterrorista. Quanto à nós, em absoluto não precisamos desta base, porque a Rússia já tem a capacidade suficiente para realizar operações militares na Síria sem ela”, afirmou.

    Respondendo à questão se é possível confiar na Turquia no que tem a ver com a luta contra o terrorismo, Glazova disse que a Turquia tanto está interessada em derrotar o terrorismo, como está chocada com os numerosos ataques terroristas que ocorrem no país de forma quotidiana. A Turquia tinha de fazer uma escolha entre a luta contra o terrorismo e o apoio ao terrorismo que levou a grandes problemas no país.

    "Frequentemente perguntam se as desculpas de Erdogan foram sinceras. Na minha opinião, não há nenhuma sinceridade nelas. É difícil esperar palavras sinceras dos políticos deste tipo. Foi uma questão de pragmatismo", disse Glazova.

    Na sua opinião, a situação em torno de área do turismo, que sofreu muito por causa da crise nas relações russo-turcas, fez com que a Turquia travasse seu orgulho.

    O especialista Aleksei Obraztsov, do Centro da Escola Superior de Economia de estudos asiáticos e africanos, disse que a Rússia não concordou em usar a base de Incirlik.

    “Mesmo que tal proposta seja feita, é pouco provável que a Rússia usasse Incirlik. A base acolhe forças da OTAN, infraestruturas da OTAN. Tendo em conta somente considerações de segurança, seria inapropriado fazer isso”, disse Obraztsov.

    Na opinião dele, a normalização com a Rússia deve ser considerada do ponto de vista das suas relações com a Europa e o Ocidente em geral. A Turquia não deixará de apoiar os terroristas de repente, disse.

    Antes, a Rússia e a Turquia atingiram um acordo sobre a crise na Síria, inclusive no que respeita à luta contra os militantes da Frente al-Nusra. Durante o encontro com Lavrov, Cavusoglu declarou que a Turquia considera como inimigos, não somente o Daesh, mas também a Frente al-Nusra.

    Mais:

    Turquia está disposta a autorizar Rússia a usar base militar
    Turquia afinal confirma que EUA usaram base Incirlik para voos de combate
    Turquia proíbe delegação alemã de visitar base militar de Incirlik
    Tags:
    relações bilaterais, pedido de desculpas, cooperação, combate, terrorismo, base, Daesh, Mevlut Cavusoglu, Incirlik, Rússia, Turquia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar