17:17 14 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Hillary Clinton, a ex-secretária de Estado norte-americana e candidata à presidência

    WikiLeaks publica 1.250 emails de Hillary sobre invasão no Iraque

    © AP Photo /
    Mundo
    URL curta
    Relatório Chilcot (7)
    0 121
    Nos siga no

    O portal WikiLeaks publicou mais de 1.250 emails privados da ex-secretária de Estado americana Hillary Clinton sobre a Guerra do Iraque antes da apresentação de um relatório britânico sobre a invasão de 2003.

    “Antes do Relatório #Chilcot: 1.258 emails de Hillary Clinton sobre o #Iraque”, anunciou o site em sua conta no Twitter.

    As mensagens, obtidas pelo site, foram divulgadas um dia antes da apresentação, na Grã-Bretanha, de um relatório independente sobre a Guerra do Iraque.

    A investigação, presidida por John Chilcot, começou em 2009. A publicação de seu relatório foi adiada em várias ocasiões, dando origem a suspeitas sobre uma possível operação para encobrir as questões mais controversas e proteger políticos e militares.

    O Relatório Chilcot será finalmente divulgado nesta quarta-feira, 6 de julho. A versão completa em papel custará quase mil euros e contém 2,6 milhões de palavras.

    EUA e seus aliados invadiram o Iraque em Março de 2003, em busca de armas de destruição em massa que estariam em mãos de Saddam Hussein. Tais armas nunca foram encontradas, e os soldados foram retirados do Iraque oficialmente em 2011. Cerca de 200 mil soldados e civis morreram durante a guerra que terminou com a queda de Saddam Hussein. Segundo o Ministério da Defesa do Reino Unido, 179 militares britânicos morreram na Guerra do Iraque.

    Tema:
    Relatório Chilcot (7)

    Mais:

    66% dos norte-americanos consideram Hillary Clinton 'desonesta'
    Americanos compram mais armas para se defender de terroristas e Hillary Clinton
    Pesquisa: Hillary sobe, e apoio a Trump cai para menos de 40%
    Tags:
    publicação, emails, Guerra do Iraque, WikiLeaks, Hillary Clinton, Grã-Bretanha, Iraque, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar