06:03 09 Julho 2020
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    3222
    Nos siga no

    A Anistia Internacional acusou nesta segunda-feira uma série de grupos rebeldes islamitas de cometerem tortura e execuções sumárias na Síria, exigindo da comunidade internacional a retirada do apoio a movimentos responsáveis por crimes de guerra.

    A organização de defesa dos direitos humanos, com sede em Londres, destacou as atividades desses grupos nas províncias de Aleppo e Idlib, lembrando que alguns deles recebem suporte do "Catar, da Arábia Saudita, da Turquia e dos Estados Unidos".

    "Em Aleppo e Idlib, hoje, os grupos armados têm o caminho livre para cometer, sem punição, crimes de guerra e outras violações do direito humanitário internacional". 

    De acordo com a Anistia, entre os criminosos de guerra estariam organizações que fazem parte da coalizão islâmica Fatah Halab, o grupo salafista Ahrar al-Sham e os jihadistas da Frente al-Nusra, representante da Al-Qaeda na Síria.

    Mais:

    ONU denuncia Daesh por genocídio, crimes de guerra e contra humanidade
    Funcionário da ONU pede punição para responsáveis por crimes de guerra em Aleppo
    São os EUA culpados por crimes de guerra no Iêmen?
    Senador americano: Ancara e Riad querem ingerência em futuro governo sírio
    'Oposição apoiada por Riad violou resoluções da ONU ao ameaçar Assad de morte'
    Tags:
    execução, tortura, crimes de guerra, Al-Qaeda, Fatah Halab, Ahrar al-Sham, Frente al-Nusra, Doha, Londres, Washington, Idlib, Aleppo, Turquia, Catar, EUA, Síria, Arábia Saudita, Riad
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar