16:47 20 Julho 2019
Ouvir Rádio
    Manifestações contra a base aérea militar dos EUA em Okinawa, Japão

    Acabou a parceria militar entre Tóquio e Washington?

    © AFP 2019 / YOSHIKAZU TSUNO / AFP
    Mundo
    URL curta
    0 71

    Tóquio e Washington concordaram em limitar os privilégios dos soldados estadunidenses que permanecem no país ao abrigo do acordo bilateral por causa de frequentes violações das leis locais por parte destes militares, informou nesta segunda (4) a agência Kyodo, citando fontes do governo japonês.

    De acordo com a agência, as novas regras do estatuto das tropas dos EUA no Japão serão anunciadas pelo ministro das Relações Exteriores japonês Fumio Kishida, ministro da Defesa Gen Nakatani e a embaixadora dos Estados Unidos em Tóquio, Caroline Kennedy.

    Gal. Nakatani e Ashton Carter, respectivamente, ministro da Defesa do Japão e secretário de Defesa dos EUA.
    © AP Photo / Eugene Hoshiko
    Gal. Nakatani e Ashton Carter, respectivamente, ministro da Defesa do Japão e secretário de Defesa dos EUA.

    O acordo sobre a revisão dos privilégios das tropas estadunidenses foi alcançado em Singapura em 4 de junho durante uma reunião entre o ministro da Defesa do Japão Nakatani e seu homólogo norte-americano Ashton Carter.

    As ilhas de Okinawa albergam 75% de todo o equipamento militar americano no Japão. Sob o atual acordo, assinado em 1960, os promotores japoneses podem acusar os militares estadunidenses por atos cometidos durante o serviço militar.

    Apesar do acordo, em 19 de maio foi detido um funcionário da base militar Kadena, nas ilhas de Okinawa. O norte-americano foi acusado de estuprar e matar uma mulher japonesa.

    Pouco depois, o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, declarou em uma entrevista coletiva conjunta ao lado do Presidente Barack Obama que o Japão implementaria novas medidas para proteger os cidadãos de Okinawa.

    Mais:

    Japão e EUA concordam em medidas para monitorar militares americanos
    Japão tenta reduzir crimes, provocados por militares dos EUA em Okinawa
    Japão e EUA querem 'juntar os esforços' para evitar novo horror
    Tags:
    militar, violação, base, acordo, Barack Obama, Fumio Kishida, Gen Nakatani, Ashton Carter, Okinawa, Tóquio, EUA, Japão
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar