10:15 24 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    0 02
    Nos siga no

    13 anos depois do fim da guerra civil, as forças de paz das Nações Unidas abandonam finalmente a Libéria.

    De acordo com um comunicado divulgado pela ONU ontem (30), a segurança nacional passa ao controle total das forças de segurança locais.

    Na quinta-feira, o secretário-geral da ONU homenageou a "determinação do povo e do governo da Libéria para trabalhar pela paz duradoura depois do fim do conflito, que acarretou a implantação da missão da ONU conhecida pela sigla UNMIL, em outubro de 2003".

    Além da UNMIL, participaram também da pacificação parceiros como a ECOWAS (Comunidade Econômica de Estados da África Ocidental), a União Africana (UA) e a União do Rio Mano.

    Um grupo de soldados nigerianos da missão da ONU, UNMIL, e de policiais liberianos perseguem um comandante d apolícia da Libéria que tinha disparado contra manifestantes da oposição em 7 de novembro de 2011, na véspera das eleições presidenciais no país
    © AP Photo / Rebecca Blackwell
    Um grupo de soldados nigerianos da missão da ONU, UNMIL, e de policiais liberianos perseguem um comandante d apolícia da Libéria que tinha disparado contra manifestantes da oposição em 7 de novembro de 2011, na véspera das eleições presidenciais no país

    A missão pacificadora foi desafiada pelo surto de ebola em 2011. Apesar do fim da epidemia, declarado pela Organização Mundial da Saúde, o ebola permanece um problema importante na região.

    Um homem liberiano participa da cerimônia tradicional de homenagem pelas pessoas mortas da doença provocada pelo vírus ebola, em 7 de março de 2015, na capital da Libéria; cerimônias tradicionais têm sido muito criticadas pela comunidade internacional por favorecer contágio
    © AP Photo / Abbas Dulleh
    Um homem liberiano participa da cerimônia tradicional de homenagem pelas pessoas mortas da doença provocada pelo vírus ebola, em 7 de março de 2015, na capital da Libéria; cerimônias tradicionais têm sido muito criticadas pela comunidade internacional por favorecer contágio

    A transferência das competências de segurança para forças nacionais liberianas não quer dizer que as tropas da ONU saiam completamente da Libéria. 1.240 militares e 606 policiais das Nações Unidas permanecerão, com funções auxiliares. Os detalhes desta presença foram estabelecidos na resolução 2239 da ONU, emitida em 2015. A presença será mantida pelo menos até 15 de dezembro de 2016, depois será tomada uma decisão sobre o seu prolongamento ou não.

    Tags:
    Libéria, África, Ban Ki-moon, ONU
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar