12:08 22 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Navios militares de Taiwan

    Erro muito ariscado: Navio de Taiwan lança míssil em direção à China

    © AP Photo / Wally Santana
    Mundo
    URL curta
    2837
    Nos siga no

    Um navio de guerra de Taiwan lançou na sexta-feira, por acidente, um míssil antinavio supersônico em direção à China continental, comunica agência AFP citando a declaração da Marinha de Taiwan.

    Segundo a informação, o míssil Hsiung Feng III, com 300 quilômetros de alcance, foi lançado durante um teste, às 9h10 do Brasil, a partir de um navio contratorpedeiro que se encontrava no Sul da ilha. O míssil voou cerca de 75 quilômetros até ao momento em que caiu na água perto do arquipélago de Penghu, que fica na jurisdição de Taiwan.

    ​Segundo a Marinha de Taiwan, a razão do lançamento é desconhecida, mas há suposições que isso tenha sido feito por fator humano.

    Segundo os últimos dados, o míssil atingiu uma embarcação de pesca chinesa.

    "Um foguete lançado por erro de um navio contratorpedeiro atingiu uma embarcação de pesca, o capitão da embarcação foi morto, três membros da tripulação ficaram feridos", comunica a agência citando a instituição militar de Taiwan.

    O porta-voz da Chancelaria chinesa, Hong Lei, não comentou o incidente no briefing de sexta-feira (01).

    As relações oficiais entre as autoridades da República Popular da China e província da ilha de Taiwan foram interrompidas em 1949, quando o Kuomintang (Partido Nacionalista Chinês), liderado por Chiang Kai-shek, teve que se deslocar para a ilha depois de sua derrota na guerra civil contra o Partido Comunista do país.

    Taiwan se tornou autogovernado em 1940, após uma guerra civil, mas a China ainda o considera parte do seu território.

    Mais:

    A mulher que pode deteriorar as relações entre a China e Taiwan
    China e Taiwan realizam troca histórica de espiões
    Tags:
    embarcação, contratorpedeiro, lançamento, teste, míssil hipersônico, Marinha, China, Taiwan
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar