03:25 22 Setembro 2017
Ouvir Rádio
    Militares brasileiros na missão da ONU no Haiti (Minustah)

    Deputado uruguaio diz que tropas da ONU podem deixar o Haiti em 2017

    © Marcello Casal Jr/ABr/Fotos Públicas
    Mundo
    URL curta
    0 342 0 0

    A Missão das Nações Unidas para a Estabilização do Haiti (Minustah) poderia se retirar do país em abril do ano que vem, segundo afirmou hoje em entrevista à Sputnik Roberto Chiazzaro, presidente da Comissão de Assuntos Internacionais da Câmara dos Deputados do Uruguai.

    Segundo o parlamentar, os capacetes azuis são vistos hoje como um verdadeiro exército de ocupação no Caribe.

    Nesta semana, o ex-senador e candidato presidencial haitiano Jean Charles Moïse visitou o Uruguai para conversar com o presidente Tabaré Vázquez e com integrantes da Comissão de Assuntos Internacionais da Câmara, e foi muito enfático ao afirmar, de acordo com Chiazzaro, que a Minustah havia se transformado em uma força de ocupação. Diante disso, Vázquez teria manifestado a sua vontade de retirar as tropas uruguaias do Haiti. 

    "Não é apenas uma expressão de vontade. O Uruguai efetivou o pedido se retirar", disse o deputado. 

    A missão tem um mandato do Conselho de Segurança da ONU com validade até outubro deste ano, e seu contingente militar e policial seguirá se reduzindo aos poucos. Neste caso, o Uruguai deixaria o grupo "antes de dezembro". 

    Mais:

    Presidente resigna ao cargo, e Haiti tem dois meses para procurar sucessor
    Eleições no Haiti: Instabilidade gera risco de intervenção estrangeira?
    Tags:
    Minustah, ONU, Roberto Chiazzaro, Tabaré Vázquez, Jean Charles Moïse, Caribe, Haiti, Uruguai
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik