00:36 26 Setembro 2017
Ouvir Rádio
    China deve financiar projetos de infraestrutura no setor de petróleo e gás da Nigéria

    China e Nigéria assinam acordos de US$ 80 bilhões no setor petrolífero

    © AFP 2017/ Pius Utomi Ekpei
    Mundo
    URL curta
    0 55752

    A petrolífera nacional da Nigéria, NNPC, anunciou nesta quinta-feira, em comunicado oficial, uma série de contratos multibilionários com companhias da China.

    O subsecretário nigeriano do Petróleo, Emmanuel Kachikwu, que chefia a NNPC, encontrou nesta semana diversos empresários chineses, em Pequim, para atrair investimentos para as refinarias do seus país. De acordo com as autoridades nigerianas, os protocolos de entendimento assinados teriam valores superiores a 80 bilhões de dólares, "com o objetivo de conseguir cobrir o financiamento de infraestruturas no setor de petróleo e gás da Nigéria".

    Embora maior produtora de petróleo no continente africano, a Nigéria se vê obrigada a importar produtos derivados, uma vez que só possui quatro refinarias, que não conseguem atender à demanda.

    De acordo com Rhidoy Rashid, analista da Energy Aspects citado pela AFP, os efeitos de um anúncio como o de hoje são frequentemente mais importantes do que o próprio investimento. 

    "Alguns projetos deverão ter sucesso, e outros não, sobretudo levando-se em conta a situação atual da Nigéria", destacou. 

    A região do delta do Níger, de onde vem a maior parte do petróleo nigeriano, tem sido alvo de intensos ataques rebeldes nas últimas semanas, o que vem atrapalhando a produção. Ainda assim, a NNPC informou nesta semana que conseguiu aumentar a produção de 1,6 milhões de barris diários para 1,9 milhões durante o mês de junho. 

    Mais:

    Boko Haram mata 32 soldados na fronteira Níger-Nigéria
    Cameron descreve Nigéria e Afeganistão como países fantasticamente corruptos
    Rússia ultrapassa Arábia Saudita como maior exportadora de petróleo para a China
    Tags:
    investimento, petróleo, Emmanuel Kachikwu, Pequim, China, Níger, Nigéria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik