02:08 22 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    F-15E Strike Eagle da Força Aérea americana

    Será que não são capazes de combater? Força Aérea dos EUA tem falta dramática de efetivos

    US Air Force / Senior Airman Matthew Bruch
    Mundo
    URL curta
    1111

    De acordo com o chefe de recursos humanos da Força Aérea dos EUA, Mark Welsh, o exército dos EUA precisa de mais 40 a 60 mil homens para cumprir as suas missões. Pelo menos 30 mil militares são necessários para manter o parque de caças F-35 operacional.

    Welsh disse na semana passada que a Força Aérea dos EUA tem que aumentar significativamente o número do seu pessoal para cumprir as missões futuras com sucesso.

    Enquanto a Força Aérea planeja aumentar o número do seu pessoal de 317 mil homens para 324 mil em 2019 isto ainda não será suficiente para garantir que todos os programas serão executados na totalidade.

    "Estávamos falando sobre a adição de novas capacidades enquanto não tivermos a autorização para abandonar as anteriores. Estávamos falando sobre o aumento da capacidade espacial, cibernética, capacidade de aeronaves não pilotadas e alguém me perguntou 'Bem e quantos efetivos serão necessárias para cumprir estas iniciativas?' E eu disse que 'Não sei, aproximadamente de 40 a 60 mil homens", disse Welsh.

    Os comentários de Welsh surgem em conjugação com a forte pressão para o aumento do orçamento militar dos EUA. Anteriormente, em maio deste ano, os comandantes da Marinha norte-americana se queixaram da prática diária de stripping de navios não utilizados para peças sobressalentes, a fim de manter os navios operacionais. Isso aconteceu no caso do navio USS Eisenhower, que chegou ao Oriente Médio após ser reparado com peças sobressalentes retiradas de outros navios militares.

    Mais:

    Força Aérea dos EUA bombardeia Talibã apesar de sua 'missão não-combatente'
    Coronel americano: Força Aérea dos EUA precisa avançar se quiser manter supremacia
    Tags:
    missões, orçamento, capacidade, número, falta, Força Aérea, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik