02:39 22 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    A chanceler alemã, Angela Merkel, com o presidente francês, François Hollande

    Merkel: Prolongamento de sanções contra Moscou é inevitável

    © AFP 2018 / BERTRAND GUAY
    Mundo
    URL curta
    1012

    O prolongamento das sanções contra a Rússia depende da realização dos acordos de Minsk, afirmou nesta quarta (29) a chanceler alemã, Angela Merkel, em um briefing sobre os resultados da reunião do Conselho Europeu, em Bruxelas, citada pelo site da Comissão Europeia.

    "Nós, o presidente francês François Hollande e eu, mais uma vez informamos hoje sobre o processo de implementação dos acordos de Minsk. E assim, indicamos que o prolongamento das sanções, infelizmente, de acordo com o grau de implementação é inevitável. Então, nada pode impedir o prolongamento das sanções", disse Merkel.

    Cabe mencionar também que, antes, os representantes permanentes dos países membros da UE concordaram em prolongar as sanções contra a Rússia, que deveriam terminar em 31 de julho, por outros seis meses. Agora a decisão dos parlamentares deve ser aprovada pelo Conselho da UE.

    No entanto, três países do bloco (França, Reino Unido e Suécia) têm usado o direito de "reserva parlamentar", que envolve a coordenação da posição com os parlamentos locais. Mais tarde foi divulgado que, no último momento, a Itália apresentou uma exigência de incluir na resolução um parágrafo sobre a possibilidade de revisão das medidas restritivas contra Moscou no final de 2016.


    Mais:

    Mídia: Senado italiano vai debater abolição das sanções contra Rússia
    Empresas alemãs respondem a sanções localizando produção na Rússia
    Poroshenko vai a Bruxelas avaliar sanções contra a Rússia
    Tags:
    prolongamento, sanções, discurso, Acordos de Minsk, Conselho Europeu, Angela Merkel, François Hollande, França, Suécia, Reino Unido, Alemanha, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik