15:31 17 Julho 2019
Ouvir Rádio
    Papa Francisco pede orações pelo Brasil durante audiência no Vaticano

    Papa Francisco visita Memorial do Genocídio na Armênia

    L´Osservatore Romano/ Vaticano
    Mundo
    URL curta
    151

    O papa Francisco visitou, neste sábado, segundo dia de sua viagem à Armênia, o Memorial do Genocídio, localizado em Tzitzernakaberd. No local, o pontífice afirmou que este momento da história deve ser lembrado para que outros episódios semelhantes não se repitam, segundo informou a Agência Brasil.

    "A memória é uma fonte de paz e de futuro. Aqui rezo, com dor no coração, para que nunca mais existam tragédias como essa, para que a humanidade não se esqueça e saiba vencer o mal com o bem. Que Deus conceda ao amado povo armênio e ao mundo inteiro a paz e a consolação. Que Deus guarde a memória do povo armênio", disse.

    O líder católico visitou o local ao lado da máxima autoridade da Igreja Apostólica da Armênia, Karekin II, e do presidente do país, Serzh Sargsyan. Francisco colocou uma coroa de flores na frente do monumento, onde um grupo de crianças levava cartazes com os nomes dos mortos de 1915. 

    No primeiro dia da viagem ao país, Francisco destacou a palavra "genocídio" em seu discurso na capital Erevan, dentro do Palácio Presidencial, para se referir ao extermínio de 1,5 milhão de armênios pelo Império Otomano há um século, mesmo sabendo que o vocábulo poderia desencadear um mal-estar diplomático com a Turquia, como já ocorreu no ano passado.

    A Santa Sé não previa o termo "genocídio" nos discursos de Francisco, porém o líder católico não quis renunciar à palavra diante das autoridades armênias.

    Mais:

    Eslovênia respeita esforços da Armênia para reconhecimento do genocídio de 1915
    Armênia e Azerbaijão chegam a acordo sobre trégua em Nagorno-Karabakh
    Karabakh: Mogherini confirma reunião dos presidentes da Armênia e do Azerbaijão em Viena
    Tags:
    genocídio, visita, Papa Francisco, Armênia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar