00:06 10 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    12210
    Nos siga no

    Nos próximos anos a Rússia poderá assistir à entrada de capitais com a retirada de investimentos britânicos da União Europeia, afirmou neste sábado (25) o especialista em investimentos Andrei Vernikov à agência RIA Novosti.

    O impacto negativo do Brexit na economia russa não excederá 0,5 por cento, e Moscou pode beneficiar do Brexit ao longo dos próximos anos, escreveu hoje o site da RIA Novosti, citando o especialista em investimentos russo.

    "Os primeiros efeitos positivos [para a Rússia] serão observados nos próximos seis meses. Os aspectos positivos incluirão a aproximação à Alemanha após as eleições de 2017 e a revogação mais rápida das sanções contra a Rússia", disse Vernikov.

    Ele também acrescentou que não vai ser surpreendido com a "revogação das sanções pela UE até o final próximo ano como o resultado de mudanças de governos".

    ​O analista Andrei Kochetkov, por sua vez, afirmou que no curto prazo, e no período de incerteza, os investidores vão tentar se livrar de ativos dos países europeus.

    "O Brexit está criando uma série de cenários incertos para o futuro da Europa, algo que vai, no final das contas, contribuir para a saída de capitais para outras regiões. Em particular, para as economias emergentes, incluindo a Rússia", disse ele.

    No entanto, o Banco Central da Rússia foi rápido em afirmar que não existem riscos diretos para a economia russa e que a reação de mercados globais para a decisão Brexit era esperada.

    O ex-ministro das Finanças russo, Aleksei Kudrin, também disse que economicamente o Brexit enfraquecerá tanto o Reino Unido como a UE, mas que não irá prejudicar a Rússia.

    O encontro entre os ministros das Relações Exteriores da Alemanha, França, Itália, Bélgica, Holanda e Luxemburgo para discutir os resultados do referendo no Reino Unido sobre a saída da UE está decorrendo hoje no Palácio de Borsig, em Berlim.

    O ministro das Relações Exteriores do Brasil, José Serra, lamentou nesta sexta-feira (24) a saída do Reino Unido da União Europeia, informou Agência Brasil.

    Nesta quinta (23), o Reino Unido realizou um referendo de saída da UE. De acordo com os resultados finais, 51,9 por cento dos eleitores, ou 17,4 milhões de pessoas, decidiram apoiar a saída da União, enquanto cerca de 16,1 milhões estiveram contra.

    Mais:

    EUA acreditam que não perderão influência na UE após Brexit
    Brexit: 10 reações insólitas ao redor do mundo
    EUA avaliam impacto do Brexit para o TTIP
    Tags:
    riscos, investimento, referendo, capital, economia, Brexit, Ria Novosti, Grã-Bretanha, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar