07:44 28 Janeiro 2020
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    77251
    Nos siga no

    Funcionários do Departamento de Estado dos EUA, em carta aos diretores do órgão, propuseram realizar ataques contra as tropas governamentais da Síria, segundo o “cenário iugoslavo”, informou o New York Times, que teve acesso ao documento.

    Na semana passada se tornou público o fato de que cerca de cinquenta funcionários do Departamento de Estado dos EUA assinaram uma carta, destinada ao uso interno, pedindo iniciar bombardeios contra as forças de Damasco. A carta diz que esse é o único modo de combater o Daesh (também conhecido como Estado Islâmico e proibido na Rússia), bem como de alcançar a paz na Síria. O porta-voz do órgão, John Kirby, confirmou o fato, mas não revelou detalhes e disse que a carta ainda está sendo estudada.  

    “Consideramos sensato um papel militar mais ativo dos EUA na Síria, com base em uso racional de armamentos a distância e de armamentos por ar, o que poderia colaborar para promoção de um processo diplomático mais direcionado e mais agressivo sob a coordenação dos EUA”, cita o jornal um dos trechos da carta. 

    A carta interna dos funcionários do Departamento de Estado lista dez pontos. Para cada um deles se apresenta uma argumentação que fundamenta a necessidade de atacar o governo da Síria para interrupção do conflito no país, solução de problemas humanitários, retorno dos refugiados, e combate ao Daesh. Segundo a lógica do documento, o ataque norte-americano contra as tropas sírias interromperia seus combates com as forças da oposição que, por sua vez, se concentrariam no combate ao Daesh. 

    O jornal norte-americano foi bastante crítico à proposta e todos os especialistas consultados pela publicação apontaram para o grande risco de que os grupos de oposição entrem em conflito para alcançar o poder, em vez de combater o terrorismo, repetindo o cenário deixado pelos EUA no Afeganistão.

    Mais:

    Vice-presidente dos EUA confunde Assad com Saddam em ato falho na TV
    Rússia acusa EUA de querer a permanência da Frente al-Nusra na Síria
    EUA negam desviar recursos da luta contra Daesh para derrubar Assad
    Lavrov exclusivo: aliados dos EUA tentam minar o processo de paz na Síria
    CIA: Daesh ainda é ameaça séria, Assad está mais forte
    Tags:
    Daesh, Departamento de Estado dos EUA, Bashar Assad, John Kirby, Iugoslávia, Síria, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar