03:24 20 Janeiro 2020
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    BRICS em 2016 (30)
    9945
    Nos siga no

    Depois do Egito, Argentina, Nigéria, Síria, Bangladesh e Grécia, mais uma nação mostra seu desejo de aderir ao BRICS. Um dos líderes da região em termos de crescimento de PIB, de acordo com o Banco Mundial, o país espera crescer economicamente por mais 7% no ano que vem, querendo candidatar-se ao importante bloco de países emergentes.

    O desejo de um novo candidato de aderir ao BRICS foi revelado pela assessoria da imprensa do partido do poder da Rússia, a Rússia Unida, depois de o líder da bancada do partido na Duma (câmara baixa do parlamento russo), Vladimir Vasiliev, se reunir em Moscou com o presidente do Senado de Quênia.

    "Ekwee David Ethuro manifestou a esperança de que o país dele, oportunamente, possa integrar o BRICS", diz o comunicado do partido.

    Michel Temer comenta delações de Sérgio Machado
    Marcelo Camargo/Agência Brasil
    O parlamentar queniano sublinhou ainda a importância da cooperação dos países na realização de projetos de investimentos, em particular na área de extração de recursos naturais, além de elogiar a parceria estratégica desenvolvida entre Moscou e Nairobi e respeito mútuo no palco internacional, conclui o comunicado.

    O bloco BRICS é uma união das economias de Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul. A última cúpula do bloco foi realizada em Ufa, na Rússia, nos dias  9 e 10 de julho de 2015. O próximo encontro de líderes dos BRICS, sob a presidência da Índia, será realizado em Goa em 15-16 de outubro de 2016.

    Tema:
    BRICS em 2016 (30)

    Mais:

    Títulos dos BRICS: primeiro em iuanes e depois…
    Europa está pronta para cooperar com BRICS
    'Afastamento de Dilma é ataque contra influência internacional dos BRICS'
    ‘Sem dólar’ e sem concorrer com FMI: Conheça a fundo o projeto econômico dos BRICS
    BRICS anunciam filosofia positiva de cooperação
    Tags:
    parlamentarismo, diplomacia, BRICS, Ekwee David Ethuro, Vladimir Vasiliev, Quênia, Nairobi, África, Rússia, Moscou
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar