00:02 28 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    2362
    Nos siga no

    O presidente finlandês Sauli Niinisto disse que a ex-ministra da Defesa sueca Karin Enstrom "está um pouco desatualizada" porque ela critica sua decisão de convidar o presidente russo Vladimir Putin à Finlândia em julho, escreve Yle.

    De acordo com a mídia, Niinisto tem de proteger seu direito de dialogar com a Rússia no segundo dia da cúpula sobre segurança na cidade finlandesa de Naantali.

    Enstrom disse que "para eles, na Suécia, em alguns aspectos é difícil entender" para que o presidente finlandês convidou Putin.

    Em resposta Niinisto disse que ela é "está um pouco desatualizada da vida".

    "Em todas as partes do mundo eu ouvi dizer que era muito importante a comunidade internacional dar entender à Rússia que o país estava errado, mas ela é considerada um país com o qual manter o diálogo não é menos importante do que com todo o resto do mundo", disse ele.

    O líder finlandês acrescentou que ele enfrenta críticas por causa de sua atitude para com a Rússia em relação aos Países Bálticos, mas esse ponto de vista ser usado por suecos é "algo de novo".

    Ele também explicou a Enstrom que outros países, incluindo os EUA, também mantêm relações com a Rússia. E que Moscou, segundo ele, não fez qualquer tentativa para influenciar a política externa da Finlândia.

    Na segunda-feira, o chanceler da Finlândia Timo Soini, depois de conversar com Sergei Lavrov, anunciou que o presidente Putin irá visitar a cidade de Naantali no início de julho. O porta-voz do presidente russo, Dmitry Peskov, confirmou que estão sendo realizadas preparações para a visita, mas seu prazo será anunciado mais tarde.

    Muitos países ocidentais acusam constantemente a Rússia de realizar uma política agressiva em relação aos países vizinhos, o que explica a necessidade de reforço e expansão da OTAN. O lado russo tem repetidamente negado tais acusações, explicando que ele só responde às medidas agressivas do Ocidente.

    Mais:

    Bálticos não estão satisfeitos com a OTAN e buscam mais apoio
    Stoltenberg: OTAN vai posicionar 4 batalhões nos países bálticos e na Polônia
    Pushkov comenta declaração sobre 'conquista dos Países Bálticos em 60 horas'
    Tags:
    ameaça, OTAN, Sauli Niinistö, Vladimir Putin, Países Bálticos, Finlândia, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar