20:52 21 Junho 2018
Ouvir Rádio
    Protestos de professores na cidade mexicana de Nochixtlán

    Confrontos no México causam mais de 100 vítimas

    © AP Photo / Luis Alberto Hernandez
    Mundo
    URL curta
    305

    Pelo menos seis pessoas morreram e 100 ficaram feridas em confrontos com a polícia durante um protesto de professores na cidade mexicana de Nochixtlán, segundo confirmou o governo do estado de Oaxaca, informa a agência Quadratín nesta segunda (20).

    Tal como aconteceu há 10 anos, a violência voltou ao estado de Oaxaca, onde oito grupos radicais atacaram a polícia estadual com armas, coquetéis molotov e pedras, na cidade de Asunción Nochixtlán, deixando seis pessoas mortas, incluindo dois professores.

    ​Nessa área, segundo o jornal, havia muitas pessoas que tinham feito suas compras no mercado, tal como todos os domingos. 

    Quando começaram os tiros de armas de fogo, os policiais federais comunicaram ao Centro de Comando de Oaxaca, que está localizado a mais de 80 quilômetros do local do ataque.

    O pedido de ajuda veio quando já havia 21 policiais feridos. A Polícia Federal ordenou a retirada de seu pessoal até a chegada da guarnição da divisão da Gendarmaria.

    Segundo a agência, 53 civis e 41 policiais federais ficaram feridos, quatro deles por armas de fogo e explosão de coquetéis, dois em estado grave. Também foram feridos 14 policiais estaduais, cinco deles por armas de fogo.

    De acordo com o jornal, os mortos ainda não foram identificados. Os feridos foram levados para hospitais para receber ajuda médica.

    O governo da República de Oaxaca lamentou e condenou os acontecimentos violentos.

    No domingo de manhã, a Polícia Federal mexicana lançou uma operação para expulsar os manifestantes, que entraram em confronto com os serviços de segurança.

    Mais:

    México aprova extradição de El Chapo para os EUA
    Presidente do México propõe legalização do casamento gay
    Cabeças, mão e braços são encontrados em malas na Cidade do México
    Tags:
    ataques, confrontos, professores, protestos, armas de fogo, morte, Polícia Federal, Oaxaca, Cidade do México, México
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik