14:34 08 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    15241
    Nos siga no

    O presidente russo, Vladimir Putin, disse hoje que o Ocidente apoiou o golpe de Estado na Ucrânia para justificar a existência da OTAN e que Moscou manteria relações normais com Kiev caso a oposição ucraniana tivesse chegado ao poder “por meios democráticos, através de eleições" – o que “muito provavelmente” teria acontecido, segundo o líder russo.

    A afirmação foi feita durante uma sessão plenária do Fórum Econômico Internacional de São Petersburgo nesta sexta-feira (17). 

    "Teríamos trabalhado com eles da mesma forma com que trabalhamos com as autoridades antes [do presidente ucraniano deposto Viktor] Yanukovych", disse Putin, citado pela mídia local. 

    "Mas não, eles tiveram que partir para o golpe com vítimas, causar derramamento de sangue, guerra civil, para a intimidação da população de língua russa no sudeste da Ucrânia e na Crimeia", acrescentou o presidente russo. 

    Desse modo, Moscou "teve que tomar medidas para proteger certos grupos da população", emendou Putin, observando que o Ocidente continuou a “girar esta espiral, a escalar [a situação] (…) para justificar a própria existência da Aliança do Atlântico Norte (OTAN)", na medida em que "eles precisam de um inimigo externo".

    Mais:

    Grafite com Vladimir Putin está se tornando viral na Crimeia
    O que aconteceria se a Crimeia continuasse a pertencer à Ucrânia? (VÍDEO)
    Matvienko: permanência da Crimeia na Rússia é assunto encerrado
    Mídia: Kiev reconhece falta de dinheiro no setor da defesa
    Tags:
    guerra civil, golpe de Estado, golpe, OTAN, Pyotr Poroshenko, Viktor Yanukovich, Vladimir Putin, Sudeste da Ucrânia, Ocidente, São Petersburgo, Ucrânia, Rússia, Crimeia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar