01:22 13 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Recém-formados

    Conheça o ranking das 300 melhores universidades latino-americanas

    © Sputnik / Vladimir Fedorenko
    Mundo
    URL curta
    714
    Nos siga no

    A Quacquarelli Symonds (QS), uma companhia britânica especializada no setor educacional, publicou uma classificação das melhores universidades da América Latina, listando o top 300 de 2016.

    O Brasil continua liderando a região segundo o ranking, com a Universidade de São Paulo em primeiro lugar. A Argentina e o Equador estão evoluindo, enquanto Peru ficou estancado.

    As prioridades e desafios a nível regional são tomados em conta na avaliação completa e simplificada da excelência universitária no ranking acadêmico QS. Inaugurada em 2011, esta classificação é uma ferramenta útil para avaliar as tendências na dinâmica na América Latina.

    Recep Tayyip Erdogan, presidente da Turquia
    © REUTERS / Christian Hartmann
    A “rede internacional de investigação” calcula o número de enlaces externos adquiridos pela universidade e é um novo critério que foi incluído no estudo deste ano. A atividade internacional, além de ser um estímulo para elevar o nível da investigação que os centros realizam, serve também para atrair os melhores estudantes e acadêmicos estrangeiros. O último campo complementa os 7 fatores de excelência estabelecidos na classificação, tais como a reputação acadêmica e empresarial, a qualidade da investigação e da docência, o impacto internacional dos relatórios realizados.

    Universidades de 20 países latino-americanos participaram no ranking do 2016.

    O Brasil foi o país melhor posicionado no ranking regional, com 76 universidades entre as 300 melhores da região, ocupando quatro das dez melhores posições. Não entanto, somente 29 das 76 universidades mostram melhor rendimento do que em 2015. O México ficou em segundo lugar, com 45 universidades, enquanto a Colômbia, que escalou do 13º lugar ao 10º, ficou na frente da Argentina, a qual se destacou pelo seu progresso  em comparação com os resultados do ano passado.

    A Universidade Central da Venezuela (UCV), ocupando o 18º lugar, melhorou 14 pontos no caminho ao top 10.

    As universidades peruanas se encontram numa posição estagnada, com somente duas das 16 universidades mostrando melhoria nas posições do ranking. Entretanto, o Equador sobressai com o progresso de sete dos oito centros universitários e mais uma universidade que aparece pela primeira vez na lista.

    Duas das cinco campeãs, que passaram a formar parte do seleto grupo das melhores 50 universidades, são: a Universidade Nacional de Rosário (Argentina), que escalou do 67º lugar ao 49º, e a Universidade da República (Uruguai), a qual superou 17 posições, atingindo o 39º lugar.

    Mais:

    Especialista diz que não há mais como fazer cortes em saúde e educação
    Pobres e sem educação: Os russos que se juntam ao Daesh
    Ministro da Educação garante não alterar nenhuma política de cotas
    Protestos contra fusão dos ministério da Cultura e Educação ocorrem em 18 capitais
    Tags:
    estudo, 2016, avaliação, ranking, universidades, faculdade, educação, USP, Brasil, América Latina
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar