06:01 18 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    Pessoas colocam flores no Memorial do Genocídio Armênio, em Erevan, no dia 21 de abril de 2015

    Eslovênia respeita esforços da Armênia para reconhecimento do genocídio de 1915

    © REUTERS/ David Mdzinarishvili
    Mundo
    URL curta
    1230 0 0

    A Eslovênia valoriza os esforços da Armênia para conseguir o pleno reconhecimento do genocídio armênio praticado pelo Império Otomano em 1915, segundo declarou hoje um porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Eslovênia.

    "A República da Eslovênia respeita plenamente os esforços da Armênia para alcançar o reconhecimento do genocídio, porque os massacres, as marchas da morte e as insuportáveis condições de vida marcaram fatalmente a identidade dos armênios e o patrimônio histórico e cultural", afirmou o porta-voz, acrescentando que o seu país lamenta profundamente esses trágicos eventos. 

    Anteriormente, o presidente da República Tcheca, Milos Zeman, havia declarado que pedirá ao parlamento tcheco para adotar uma resolução que reconheça o genocídio. 

    Na última quinta-feira, 2, o Bundestag, parlamento da Alemanha, aprovou uma resolução reconhecendo como genocídio o massacre de armênios pelo Império Otomano no início do século XX. A decisão provocou forte indignação por parte da Turquia, que decidiu convocar o seu embaixador em Berlim e também o embaixador alemão em Ancara para consultas. E o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, afirmou que a decisão da Alemanha afetará seriamente as relações bilaterais.

    A Turquia, herdeira do Império Otomano, rechaça todas as acusações de genocídio, reconhecido por vários países (incluindo Brasil e Rússia), alegando que as vítimas da tragédia pertenciam a diferentes povos, inclusive o turco. 

    Mais:

    Opinião: reconhecimento do genocídio armênio beneficia Putin
    Parlamento de Alemanha reconhece como genocídio a matança de armênios em 1915
    Turquia protesta contra resolução do Senado brasileiro sobre genocídio armênio
    Tags:
    massacre, Genocídio Armênio, Recep Tayyip Erdogan, Milos Zeman, Ancara, Berlim, República Tcheca, Alemanha, Império Otomano, Eslovênia, Turquia, Armênia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik