02:37 23 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    081
    Nos siga no

    O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, chegou a pedir em maio uma ação de busca e apreensão contra o senador Aécio Neves (PSDB) com o objetivo de coletar dados para o inquérito, que apura a acusação de que o tucano teria desvirtuado as investigações da CPI dos Correios, ainda em 2005.

    De acordo com Janot, Aécio Neves teria atrasado o envio de documentos para a Comissão Parlamentar de Inquérito com a intenção de ganhar tempo para que dados que comprometessem nomes do PSDB fossem apagados.

    O pedido chegou a ser autorizado pelo ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, com a condição de que condução da ação fosse em caráter de sigilo e acompanhada por um oficial de justiça do Supremo. 

    O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB), no entanto, negou a versão da Procuradoria-Geral da República, afirmando que não houve manipulação no documentos da investigação, impedindo a ação contra Aécio Neves. 

    Calheiros encaminhou uma petição ao STF afirmando que os dados mencionados eram públicos e estavam à disposição da Justiça.


    Mais:

    Continuação de inquérito contra Aécio Neves é autorizada por Gilmar Mendes
    ‘Um golpista na praia’: vídeo de Aécio sendo hostilizado no Leblon viraliza na Internet
    STF suspende coleta de provas sobre Aécio com menos de 24 horas de investigação
    Procurador-geral da República pede ao STF retomar investigação contra Aécio na Lava Jato
    Tags:
    Brasil, Renan Calheiros, Aécio Neves, Gilmar Mendes, Rodrigo Janot, STF, PSDB, PMDB, busca e apreensão
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar