14:40 19 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Moai, estátuas gigantescas da Ilha da Pascoa

    Deuses da antiguidade estão em perigo

    © AP Photo/ Karen Schwartz
    Mundo
    URL curta
    106
    Nos siga no

    Analistas da ONU produziram um relatório sobre turismo e património mundial, afirmando que as mudanças climáticas ameaçam todos os monumentos protegidos pela organização.

    Moais, as famosas estátuas da Ilha de Páscoa, podem tornar-se uma das primeiras vítimas das mudanças climáticas, relacionadas com a atividade humana, diz o relatório da UNESCO, organização da ONU.

    "A Humanidade pode perder algumas estátuas na Ilha de Pascoa, se a erosão da linha do litoral pelas ondas do Pacífico continuar nos próximos dez anos. Podemos constatar que as mudanças climáticas prejudicam todos os monumentos considerados pela UNESCO como patrimônio cultural da Humanidade", diz Adam Markham, analista principal e responsável pelo relatório, citado pela CNN estadunidense.

    Markham, entre outros dez analistas da UNESCO, efetuaram um trabalho analítico com vistas a avaliar como os monumentos arquitetónicos e culturais, expostos a céu aberto, respondem às mudanças climáticas causadas pela Humanidade e seus efeitos e consequências, tais como a elevação do nível do mar, a alteração das correntes nos oceanos, o aumento de temperaturas médias anuais e eventos meteorológicos extremos, que se tornam hoje em dia mais frequentes.

    A Ilha de Páscoa é um dos lugares mais misteriosos do planeta, onde existia, cerca de dois mil anos atrás, uma civilização estranha do povo polinésio, que deixou vários artefatos, em particular as estátuas gigantescas de moai, consideradas por cientistas como figuras sagradas de antecessores e parentes de antigos habitantes da ilha.
    De acordo com os analistas da UNESCO, as estátuas estão em perigo de serem arrastadas pelo mar, devido ao aumento da altura das ondas que atingem a ilha, além da maior erosão do litoral.

    Estátua da Liberdade, em Nova York
    © AP Photo / Richard Drew
    Estátua da Liberdade, em Nova York

    Junto com as moais, a estátua de liberdade em Nova Iorque também pode ser prejudicada pelos efeitos do aquecimento global. Ela é ameaçada pelo aumento do nível do mar e por tempestades mais frequentes no Atlântico. Outro furacão, igual a Katrina e Sandy, pode ocorrer no norte do Atlântico já nos meados do próximo século, levando a consequências tristes para o símbolo dos Estados Unidos.

    Os locais património da natureza também estão em perigo. O Parque Nacional de Yellowstone pode secar devido a um menor caudal dos rios, à menor duração do inverno e neve menos intensa. Já as Ilhas Galápagos podem perder a maior parte da sua flora e fauna únicas, por causa da alteração da corrente El Nino.

    Os analistas esperam que o relatório convença os líderes mundiais da organizar um programa de salvação de todos os monumentos patrimônio da Humanidade, antes que estes se percam definitivamente.

    Mais:

    UNESCO aprova por unanimidade projeto da Rússia para preservação de Palmira
    PNUMA: degradação ambiental provoca 12 milhões de mortes por ano
    Tags:
    estátua, Patrimônio da Humanidade, meio ambiente, desastre ambiental, desastres naturais, mudanças climáticas, relatório, Parque Nacional de Yellowstone, Estátua da Liberdade, moai, CNN, UNESCO, ONU, Galápagos, EUA, Nova York, Ilha de Páscoa, Chile
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar