02:58 23 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    Caminhada das Flores repudia abuso e agressões contra as mulheres em Brasília, 29 de maio de 2016

    Milhares de mulheres marcham em Brasília contra a ‘cultura do estupro’

    Wilson Dias/ Agência Brasil
    Mundo
    URL curta
    Estupro coletivo no Rio de Janeiro (15)
    745596

    Cerca de 3 mil manifestantes, a maioria mulheres carregando flores nas mãos, marcharam na manhã deste domingo pela Esplanada dos Ministérios, em Brasília, para protestar contra a “cultura do estupro”.

    O grupo também pediu justiça para os casos que envolvam violência contra a mulher e exigiu políticas públicas que garantam a educação de gênero nas escolas brasileiras.

    A Marcha das Flores – 30 Contra Todas, organizada por 16 entidades ligadas a causas feministas e de defesa da criança e do adolescente, foi motivada pelo caso da menor estuprada por mais de 30 homens no Rio de Janeiro. Um vídeo com imagens do crime foi publicado na internet na última quarta-feira, causando comoção nas redes sociais e a entrada da polícia no caso.

    As manifestantes caminharam até a frente do Supremo Tribunal Federal (STF), onde derrubaram as grades que cercavam o local e tomaram a frente do edifício, sobre o qual foram fixadas calcinhas pintadas de vermelho, numa alusão à violência sexual contra a mulher.

    “Para nós, a rua é um campo de batalha. Os homens não têm ideia do medo que a gente vive diariamente. Todos têm esse potencial de ser agressor, porque é natural de nossa cultura subjugar a mulher. Essa desconstrução é muito difícil, mas vamos enfrentar”, disse a professora Daniela Gontijo, de 29 anos.

    Tema:
    Estupro coletivo no Rio de Janeiro (15)

    Mais:

    Advogada de vítima de estupro quer representar contra delegado
    OAB/Mulher: ‘Mais do que um estupro, foi um crime de ódio contra as mulheres’
    #30ContraTodas: Estupro coletivo gera mobilização em massa nas redes sociais
    Polícia identifica quatro suspeitos de participar de estupro coletivo no Rio
    Tags:
    manifestação, feminismo, estupro coletivo, STF, Brasil, Brasília
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik