14:57 06 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Três sobreviventes se dão um abraço fora da sala de concertos Bataclan, onde tinha acontecido um ataque com fuzil automático

    Didi, o herói argelino esquecido dos ataques de Paris, é premiado com cidadania francesa

    © REUTERS / Christian Hartmann
    Mundo
    URL curta
    101
    Nos siga no

    O homem argelino conhecido como o "herói esquecido" nos ataques terroristas do Daesh (autodenominado Estado Islâmico) na sala de concertos parisiense Bataclan, no ano passado, ganhou a cidadania francesa nesta sexta (27).

    Durante o ataque ao local em 13 de novembro de 2015, o guarda de segurança argelino de 35 anos correu de volta para o Bataclan a fim de ajudar dezenas de pessoas a escapar do cenário de terror. Ele pediu para ser identificado publicamente apenas como Didi. 

    Após a repercussão do fato, uma petição para dar a ela a cidadania francesa reuniu mais de 100.000 assinaturas, segundo relata a Newsweek. Seis meses depois, ministro do Interior da França, Bernard Cazeneuve, anunciou no Twitter: "felicitações calorosas a Didi", dando-lhe boas-vindas à nacionalidade francesa.


    Mais:

    Suspeitos de planejar novos ataques terroristas em Paris são presos na França
    Bélgica prende suspeitos de ataques a Paris
    Ministro confirma morte do terrorista que preparou ataques em Paris
    Bataclan anuncia reabertura e realizará show um ano depois dos atentados em Paris
    Tags:
    cidadania francesa, herói, ataques terroristas, Bataclan, Estado Islâmico, Daesh, Bernard Cazeneuve, Didi, França, Paris
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar