03:29 12 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Casa rural nas arredores de Belgrado

    ‘Ocupação silenciosa’ usa apartamentos para conquistar sul da Sérvia

    © AFP 2019 / ANDREJ ISAKOVIC
    Mundo
    URL curta
    322
    Nos siga no

    De 2010 a 2015, os albaneses do Kosovo estavam comprando em massa apartamentos e terrenos cultivados nas cidades de Nis, Leskovac, Vranje, Kursumlija, Prokuplje no sul da Sérvia. Agora este processo, pelo menos nas cidades, está parado, mas as zonas rurais ainda permanecem "na mira" dos vendedores da propriedade da Kosovo.

    O interesse primário dos albaneses são as áreas que ficam perto da linha administrativa que separa a Sérvia e o Kosovo. Deste ponto de vista, a cidade de Nis é bem famosa, sendo a terceira maior cidade da Sérvia. Lá, tanto na cidade como nos arredores, de acordo com dados não oficiais, nos últimos anos compraram apartamentos 11 mil albaneses.

    A informação oficial sobre o número dos apartamentos e terrenos comprados pelos kosovares albaneses no Sul da Sérvia não existe, porque que os contratos de compra e venda foram assinados com a participação dos mesmos sérvios.

    Então, tudo acontece de acordo com a lei. Por exemplo, um albanês empresta dinheiro a um sérvio para comprar o apartamento em seu nome. Depois, no tribunal prepara um contrato, segundo o qual o imóvel vai garantir a divida do sérvio. Ao expirar o tempo, quando o sérvio deveria devolver o dinheiro, o albanês se torna o proprietário de apartamento sem nenhum registro da venda. O sérvio em seguida, recebe uma porcentagem do valor da venda. Às vezes agências imobiliárias, bem como os advogados sérvios e albaneses, participam nestas maquinações. Claro que os albaneses de Kosovo se tornam cidadãos da Sérvia, e, portanto, eles têm o direito de continuar a comprar a propriedade no país. No entanto, os albaneses do Kosovo não reconhecem a Sérvia como o seu país, por isso usam os mesmos sérvios para trabalhar lá.

    ​No ano passado, devido à chegada em massa de kosovares albaneses, na cidade de Nis foram divulgados folhetos que diziam "Para de albanizar Sérvia!". A identidade dos autores deles ainda não foi revelada. Os folhetos também informaram que os albaneses do Kosovo, por meio de corretores, se tornaram proprietários de cerca de 300 apartamentos na cidade.

    Novi Pazar, uma cidade com uma população predominantemente muçulmana, é também popular entre albaneses. No entanto, aqui os compradores estão mais interessados nas terras agrícolas, localizadas longe da cidade. 

    A terra rural na fronteira com o Kosovo, por exemplo em Kursumlija, também é muito interessante para os albaneses, primeiramente, por causa de seu baixo preço. Albaneses oferecem o ótimo preço para a propriedade sem tornar-se proprietário, e com a ajuda de um advogado em Pristina, alugam a terra.

    Todas essas operações não são registradas na Sérvia, por isso o processo da mudança da estrutura étnica da população sérvio passa insensivelmente. No território do município de Leskovac, uma boa casa com um terreno fértil pode ser comprado por 5.000 euros.

    Este interesse dos albaneses, muitos associam com a intenção deles “ampliar” ilegalmente o território do Kosovo por meio das áreas do sul da Sérvia.

    Cidadãos dessas áreas vivem em constante medo de que eles podem enfrentar o mesmo problema que aconteceu com os sérvios do Kosovo que permaneceram em minoria no seu território, incluindo devido compra em massa de propriedade pelos albaneses.

    Várias pessoas das regiões do Sul, questionadas pelos jornalistas da Sputnik, explicaram que os sérvios estão vendendo a propriedade e saem, porque esta região da Sérvia é um dos mais pobres, por isso com tempo aqui aparecerão mais e mais albaneses. O que está acontecendo os locais se chamam de "ocupação silenciosa".

    Mais:

    Sérvia e UE – uma novela sem fim
    Exclusivo: Sérvia, quando está mal, sempre recorre à Rússia
    Presidente da Sérvia: 9 de maio é a data mais grandiosa da história contemporânea
    Tags:
    terra, compra, migração, ocupação, invasão, Albânia, Kosovo, Sérvia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar