23:19 17 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Ministro das Relações Exteriores russo Sergei Lavrov e o Secretário de Estado norte-americano John Kerry na reunião bilateral nas margens da reunião dos ministros da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa, Belgrado, Sérvia, 3 de dezembro de 2015

    Lavrov e Kerry discutiram a possibilidade de operações conjuntas na Síria

    © AFP 2017/ JONATHAN ERNST / POOL
    Mundo
    URL curta
    0 23

    O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, e o secretário de Estado dos EUA, John Kerry, discutiram por telefone a proposta russa de realização de operações conjuntas com os EUA contra grupos terroristas na Síria, informou nesta segunda-feira a assessoria de imprensa da chancelaria de Moscou.

    "No centro das atenções estava a situação referente à Síria. Inclusive as propostas russas de realizar operações conjuntas contra os grupos terroristas atuantes neste país e contra outras organizações armadas ilegais, que não aderiram ao regime de cessar fogo, bem como de impedir o trânsito dos militantes e de armas através da fronteira turca. Sergei Lavrov apontou mais uma vez para a necessidade do mais urgente cumprimento da promessa de Washington de dissociar os grupos da oposição síria ligados aos EUA dos terroristas da Frente al-Nusra, aos quais não se estende o regime de cessar-fogo", informou o comunicado do Ministério das Relações Exteriores da Rússia.

    Além disso, os ministros discutiram a possibilidade de "ativar os esforços da comunidade internacional no sentido de colaborar para a solução da crise entre Israel e Palestina". Segundo a nota do órgão russo, a conversa foi realizada por iniciativa dos EUA.

    Mais:

    ONU pediu coordenação no combate ao terrorismo na Síria
    Pentágono: EUA não pretendem coordenar operações com a Rússia na Síria
    Rússia atacará unilateralmente grupos que não respeitarem cessar-fogo na Síria
    Tags:
    John Kerry, Sergei Lavrov, Síria, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik