20:15 20 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    Brigitte Anne-Marie Bardot

    Brigitte Bardot denuncia Parceria Transatlântica: ‘Será uma catástrofe’

    © Foto: Fondation Brigitte Bardot
    Mundo
    URL curta
    31063111

    Brigitte Bardot, famosa atriz e ativista dos direitos dos animais, não confia na eficiência do governo da França e é por isso que não saúda o acordo de TTIP.

    A atriz e ativista dos direitos dos animais Brigitte Bardot disse à Sputnik que apesar do escândalo com o tratamento antiético de animais que abolou a França há alguns meses, parece que o governo não pode empreender nenhuma ação decisiva, e o acordo de Parceria Transatlântica de Comércio e Investimento (APT ou TTIP, na sigla em inglês) só deteriorará a situação.

    A superstar francesa disse que enquanto a população ficou chocada com vídeos vazados que apresentam cenas de tratamento extremamente cruel de animais em três matadouros na França e é improvável que se opere qualquer mudança de modo de tratamento de animais nestas instalações.

    “Isto é repugnante, muitas pessoas da França começaram a comer menos carne na sequência disso e muitas se tornaram vegetarianas. Mas matadouros continuam operar assim como antes, sem dar sinal de melhoria nenhuma”, disse Bardot.

    Großdemonstration in Hannover gegen das geplante Freihandelsabkommen TTIP
    © REUTERS/ Kai Pfaffenbach
    Segundo Bardot, parece pouco provável que o governo atual realize algum progresso nessa área, porque está classificando os animais como apenas um objeto de valor. Além disso, o próximo acordo de APT, caso for adoptado, seria devastador para a economia da França e a agropecuária.

    “O acordo de Parceria Transatlântica de Comércio e Investimento (ATP) é uma loucura em todo o sentido da palavra. O comércio internacional é muito intensivo, ele leva os produtores e criadores de gado franceses á bancarrota, e é por isso que o TTIP será uma catástrofe sanitária, econômica e ambiental”, disse Bardot.

    No entanto ele tinha recentemente escrito a carta aberta ao presidente da França François Hollande, mas ela diz que não espera nada dele.

    “Não espero nada de Hollande. Ele não pode tomar uma decisão importante relativamente aos direitos dos animais. Mas eu espero que outros candidatos que participarão das eleições presidenciais de 2017 leiam esta carta e a considerem”, disse ela.

    Bardot também tinha estressado que se por um lado nenhum país da Europa de hoje pode ser considerado um modelo nos termos da proteção de direitos de animais, pelo menos seis ou sete membros da UE tinham proibido o sacrifício animal ritualístico, e Reino Unido e Alemanha ainda proíbam caçar com cães, que é um grande passo em frente.

    Mais:

    Será que França conseguirá resolver a crise palestino-israelense?
    França se opõe à OTAN no quesito dos sistemas de DAM
    Tags:
    direitos, tratamento, Acordo de Parceria Transatlântica de Comércio e Investimento (TTIP), opinião, animais, Brigitte Bardot, François Hollande, França
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik