02:34 22 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    Helicóptero Ka-52K

    Rússia constrói novo navio de assalto anfíbio para substituir Mistral

    © Sputnik/ Ilya Bogachev
    Mundo
    URL curta
    105805421

    O vice-ministro da Defesa da Rússia, Yuri Borisov, planeja construir navios anfíbios para os helicópteros de ataque Kamov Ka-52, que foram inicialmente construídos para os navios militares franceses do tipo Mistral.

    Helicópteros russos Ka-52 'Alligator' são usados contra o Daesh na Síria
    © Sputnik/ Mikhail Voskresenskiy
    Moscou e Paris tinham rescindido o contrato de 1.3 bilhões de dólares de fornecimento de navios do tipo Mistral em agosto de 2015. Moscou tinha recebido cerca de 1 bilhão de dólares em compensação da parte francesa.

    “Vamos construí-los. Serão elaborados novos projetos, A Corporação da Construção Naval Unida estuda varias opções e os presenta à nós… Isto será um assunto incluído no programa estatal de armamentos para os anos de 2018-2025”, disse Borisov aos jornalistas durante a exibição de helicópteros HeliRussia 2016 no Moscou.

    Os helicópteros Ka-52 Alligator e a sua modificação Kamov Ka-52K foram elaboradas conforme os parâmetros do tipo Mistral.

    Mais cedo, o designer general da empresa Kamov, Sergei Mikheev, tinha dito à agência RIA Novosti que os helicópteros serão utilizados apesar da suspensão do Mistral. A empresa Nevskoe Design Bureau, localizada em São Petersburgo, está construindo um grande navio de desembarque Priboi, que será a alternativa ao Mistral, sublinhou ele.

    De acordo com o Ministério da Defesa da Rússia Priboi terá um deslocamento de 14 milhões de quilogramas e a capacidade para carregar 8 helicópteros, além de 50 veículos militares e 500 fuzileiros.

    Mais:

    Fábrica russa irá exportar helicópteros Ka-52 em 2017
    Rússia recupera equipamento de porta-helicópteros Mistral
    Tags:
    navio de guerra, substituição, helicópteros, produção, Ka-52k, Ministério da Defesa (Rússia), França, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik