22:47 22 Fevereiro 2020
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    37844
    Nos siga no

    Conforme as eleições presidenciais dos EUA vão se aproximando, o candidato republicado Donald Trump parece assumir cada vez mais uma retórica menos amigável com relação ao presidente da Rússia Vladimir Putin, escreve o jornal Huffington Post.

    Ainda meio ano atrás, Putin e Trump chegaram a trocar elogios. Em dezembro, durante sua coletiva de imprensa, o líder russo chamou Trump "homem brilhante, talentoso e notável", ao que o candidato americano respondeu que teve a honra de ouvir tais palavras "de um homem tão respeitado na Rússia e no exterior”.

    No entanto, assim que Trump tornou-se o único candidato à presidência pelo Partido Republicano e um real pretendente à liderança da Casa Branca, o tom de suas declarou com relação à Rússia mudou drasticamente, destaca a publicação.

    Por exemplo, a informação do Pentágono sobre o surgimento de aviões russos nas imediações de navios americanos no Mar Báltico, provocou uma forte reação negativa por parte de Trump. O político declarou que no lugar do atual presidente dos EUA, teria telefonado imediatamente para o líder russo para avisá-lo sobre possíveis as consequências dessas manobras.

    Mais do que isso, Trump disse que não hesitaria em permitir que os aviões russos fossem abatidos caso tal medida se fizesse necessária, apesar de os militares terem considerado que um ato agressivo como este seria completamente inaceitável nesse caso, já que algumas das aeronaves russas não estavam nem armadas no momento do incidente.

    De acordo com o Huffington Post, o cenário da vitória de Trump nas eleições dificilmente mudaria as relações russo-americanas, apesar dessa ter sido uma das esperanças de sua campanha para muita gente.

    A retórica cortês de Trump com relação à Rússia e o presidente russo foi necessária apenas para ajudá-lo a vencer outros candidatos republicanos. Agora, a situação é outra. “Muito em breve ele substituirá o tom respeitoso por ameaças. É um mau sinal. A diplomacia não se constrói sobre ameaças” – concluiu o artigo.

    Tags:
    eleições presidenciais, ameaça, Vladimir Putin, Donald Trump, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar