09:43 22 Fevereiro 2018
Ouvir Rádio
    Sistema antimisiles THAAD

    Rússia e China podem responder ao sistema de mísseis dos EUA na Coreia do Sul

    © Foto: US Missile Defense Agency
    Mundo
    URL curta
    7424

    Comentando os exercícios de defesa conjuntos previstos entre os EUA, a Coreia do Sul e o Japão e a possível implantação de um sistema de mísseis terra-ar dos EUA na Coreia do Sul, o analista militar russo Vladimir Yevseyev disse à Sputnik que a Rússia tem todos os meios para responder à altura.

    O exercício conjunto entre as forças norte-americanas, sul-coreanas e japonesas acontecerão no Havaí em junho, às margens do exercício naval bienal Rim of the Pacific (RIMPAC). 

    As manobras vão se concentrar em operações antimísseis e incluirão destroyers de mísseis guiados das três Marinhas equipados com o Sistema de Combate Aegis, que usa radares e computadores de alta potência para rastrear e guiar mísseis de curto e médio alcance para destruir alvos inimigos

    Além disso, de acordo com o jornal sul-coreano The Hankyoreh, “os exercícios também parecem ser uma etapa preparatória para a ligação das redes de defesa antimíssil dos três lados".

    Em fevereiro, Washington e Seul decidiram iniciar conversações oficiais sobre a implantação de um sistema de mísseis terra-ar dos EUA na Coreia do Sul chamado Terminal High Altitude Area Defense (THAAD), projetado para derrubar mísseis balísticos em grandes altitudes.

    As conversas provocaram uma reação negativa da China, que vê na proposta uma ameaça às suas fronteiras.

    De acordo com Vladimir Yevseyev, diretor do Centro Russo para Pesquisa de Política Pública, tais medidas também não seriam deixadas sem resposta pela Rússia. Moscou, segundo ele, tem todos os meios para responder efetivamente à eventual implantação do sistema de defesa antimísseis norte-americano na península coreana.

    "Eu acho que a resposta para a inclusão da Coreia do Sul na rede de defesa antimísseis global dos EUA na região Ásia-Pacífico será, em primeiro lugar, o reforço da força naval e aérea da China", disse o analista.

    "As contramedidas poderiam incluir o fornecimento para a China de mísseis de cruzeiro russos Kalibr altamente eficientes, que poderiam ser instalados em um submarino movido a diesel. Isto permitirá responder eficazmente ao sistema de defesa antimísseis global dos EUA que atualmente está cobrindo o território do Alasca à Austrália", acrescentou.

    O analista também disse que a Rússia tem em sua posse um grande arsenal de contramedidas contra um sistema de defesa de mísseis. Em um futuro próximo, segundo ele, este arsenal incluirá o novo míssil balístico Sarmat e o complexo de mísseis Barguzin.

    O especialista notar que os radares dos EUA podem representar certos problemas para a Rússia, mas diz que eles vão ser altamente insuficientes.

    Apesar disso, acrescentou, se a Rússia sentir quaisquer ameaças aos seus territórios na Ásia, deverá adotar medidas semelhantes às que está atualmente efetuando contra a implantação do sistema de defesa de mísseis dos EUA na Europa.

    Mais:

    Novos mísseis russos serão ‘invulneráveis’ para a OTAN
    Pyongyang terminará testes nucleares se EUA encerrarem exercícios com a Coreia do Sul
    Rússia e China preparam exercícios da defesa antimíssil aérea computorizada em maio
    Tags:
    defesa antimísseis, sistema de defesa, exercícios militares, mísseis, Barguzin, Sistema de Combate Aegis, THAAD, Kalibr, RIMPAC, Coreia do Sul, China, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik