00:22 17 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Presidente da Venezuela Nicolás Maduro com a presidente do Brasil Dilma Rousseff

    Venezuela nega retaliação ao afastamento de Dilma

    © AFP 2019 / EVARISTO SA
    Mundo
    URL curta
    2366
    Nos siga no

    O Itamaraty informou neste sábado (14) que o governo da Venezuela negou que a convocação de seu embaixador em Brasília representa uma medida de retaliação contra o governo interino de Michel Temer, diante do afastamento da presidenta eleita Dilma Rousseff.

    Segundo informou a Agência Brasil, o governo venezuelano explicou que Castellar deixou Brasília para participar de um compromisso, agendado há algum tempo. A explicação foi dada ao embaixador brasileiro na capital venezuelana.

    Na sexta-feira (13) o presidente da Venezuela Nicolás Maduro informou ter solicitado o retorno do embaixador da Venezuela no Brasil para Caracas, em função do afastamento temporário da presidenta Dilma Rousseff. Maduro classificou a abertura do processo de impeachment de Dilma de “golpe de Estado”, e disse que o mesmo representa "uma canalhice contra ela, contra sua honra, contra a democracia, contra o povo brasileiro".

    No mesmo dia, o Itamaraty emitiu declarações rechaçando as opiniões manifestadas por líderes da região com relação à abertura do processo de impeachment contra Dilma. Em seguida, o governo interino de Michel Temer começou a avaliar uma possível resposta à convocação do diplomata venezuelano a Caracas.

    Tags:
    afastamento, retaliação, Dilma Rousseff, Nicolás Maduro, Brasil, Venezuela
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar