06:26 23 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    O presidente da Rússia Vladimir Putin e o primeiro-ministro do Japão Shinzo Abe durante o encontro bilateral na residência do presidente russo em Sochi, Rússia, 6 de maio de 2016

    Qual é o compromisso atingido pela Rússia e Japão sobre as ilhas Curilas?

    © Sputnik / Sergei Guneev
    Mundo
    URL curta
    15231
    Nos siga no

    As negociações entre o presidente russo, Vladimir Putin, e o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, realizadas em Sochi em 6 de maio, resultaram em um progresso nas relações bilaterais.

    Muitos especialistas e diplomatas de ambas as partes confirmam isso. Entretanto, a nova abordagem da disputa territorial proposta pelo premiê japonês e considerado pela parte russa como construtiva ficou um mistério para a comunidade internacional.

    Em entrevista à agência noticiosa RIA Novosti, o professor da Universidade de Tsukuba Nakamura Itsuro destacou que "o problema principal é que não está claro se a ‘nova abordagem’ é o fato de que o Japão reconheceu que o assunto está fechado ou isso é uma ‘nova abordagem’ para continuar tentativas de resolver a disputa territorial".

    "Penso que o único modo de resolver [o problema] para o Japão é reconhecer que o assunto está fechado. Entretanto, aqui surge um outro problema: se este assunto estiver fechado, o premiê japonês e o presidente russo terão nada para discutir", sublinhou.

    O ex-embaixador russo no Japão Aleksandr Panov disse que, se calhar, Abe propôs à Rússia um dos roteiros elaborados com antecedência.

    "A parte japonesa podia propor uma variante que prevê uma entrega de ilhas Habomai e Shikotan ao Japão em resultado de conclusão do acordo de paz, enquanto a Rússia preserva direitos administrativos sobre as ilhas de Iturup e Kunashir por 30-50 anos", destacou Panov dizendo que esta variante para o Japão é um compromisso.

    O especialista do Centro de Estudos do Japão do Instituo de Extremo Oriente Viktor Pavlenko disse em entrevista à rádio Sputnik que os japoneses nunca desistirão de reclamar as ilhas.

    "Não penso que podem existir algumas resoluções progressivas nesta área", sublinhou.

    Pavlenko disse que é evidente que Abe ofereceu a Putin algo que não deve se tornar público. Se isto for verdade, há duas alternativas. A primeira é que Abe ofereceu a Putin um plano habitual – "acordo de paz e quatro ilhas" em troca de pacote de iniciativas sobre a cooperação mutuamente benéfica. O fator adicional é sanções internacionais. O Japão pode levantar as sanções antirrussas de modo unilateral e a Rússia terá de dar passos positivos em resposta. Este plano não é novo, a sua versão já foi discutida entre as partes em 1997 e 2000.

    A segunda alternativa é um retorno para a Declaração de 1956, segundo a qual, a Rússia deve entregar as ilhas Shikotan e Habomai depois de assinar o acordo de paz. Agora é o único documento que regulariza o estatuto de ilhas Curilas. A Rússia repetidamente confirmou a lealdade a este documento. As partes podem também acordar "continuar as negociações sobre Kunashir e Iturup no futuro" e criar ali, por exemplo, a zona econômica especial com as privilegias para o capital japonês.

    Tags:
    acordo de paz, disputa territorial, opinião, Shinzo Abe, Vladimir Putin, ilhas Curilhas, Japão, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar