12:39 09 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    205
    Nos siga no

    O ministro das Relações Exteriores da Rússia Sergei Lavrov e o enviado especial da ONU para Síria Staffan de Mistura expressaram sua preocupação com a crescente piora da situação na Síria, diante dos esforços de extremistas e terroristas dos grupos Ahrar al-Sham e Yeish al-Islam de interromper o regime de cessar-fogo naquele país.

    "Expressamos preocupação com relação à situação na Síria, onde terroristas e extremistas, em particular, dos grupos Ahrar al-Sham e Yeish al-Islam, tentam minar o regime de cessar-fogo" – diz um comunicado emitido nesta terça-feira (3) pela chancelaria russa.

    Nas semana, Lavrov denunciou a existência de laços dos grupos Ahrar al-Sham (“Povo Livre do Levante”) e Jaysh al-Islam (“Exército do Islã”), cujos representantes participaram nas conversações de paz realizadas em Genebra, com as organizações terroristas Daesh (Estado Islâmico) e Al-Qaeda.

    Em seguida, o representante permanente da Rússia na ONU, Vitaly Churkin, solicitou que os dois grupos fossem incluídos na lista de organizações terroristas do Conselho de Segurança da ONU, pelo fato de ambos não participarem mais das negociações de paz em Genebra e não respeitarem o regime de cessar-fogo na Síria.

    A trégua na Síria entrou em vigor no último dia 27 de fevereiro, após um acordo internacional apoiado por Rússia e Estados Unidos para suspender os conflitos no país e garantir o envio de ajuda humanitária à população. A medida, no entanto, não contempla grupos terroristas como Daesh e Frente al-Nusra, que seguem sendo atacados.

    Mais:

    Confusão na luta contra terrorismo: Conselho de Segurança discute ideia russa
    Damasco envia pedido de ajuda à ONU para combater terrorismo na Síria
    Tags:
    cessar-fogo, trégua, Daesh, Ahrar al-Sham, Jaysh al-Islam, Staffan de Mistura, Sergei Lavrov, Síria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar